13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Mitos de treino – que condicionam resultados (parte 2)

A Primavera aproxima-se a passos largos e está prestes a começar mais um ciclo de mudança, nos hábitos de muitos portugueses. Referimo-nos concretamente ao despertar para a necessidade de fazer exercício físico, porque depois da Primavera segue-se o Verão, e ficar em forma passa a ser uma prioridade.
 
Este é um cenário familiar a numerosos praticantes de exercício, que repetem hábitos desportivos sazonalmente, na procura de resultados extraordinários, que só são possíveis nos anúncios publicitários, com que somos bombardeados assim que se aproxima a época balnear.
 
Efectivamente, a maioria dos indivíduos que se exercita, fá-lo por determinadas motivações, que podem ir desde a manutenção da saúde, bem-estar, melhoria da performance, preocupações estéticas ou uma combinação destas. Uma coisa têm todos em comum – Alcançar resultados. A questão é que nem sempre é fácil conseguir determinados objectivos, em grande parte devido a questões comportamentais. Nós, os humanos, somos seres de hábitos, rotinas, padrões de comportamento. Temos uma tendência natural para nos mantermos numa determinada zona de conforto, procurando aquilo que nos é familiar e realizando tarefas conhecidas. Existe a propensão inata para resistir à mudança e isso, tal como noutros aspectos da nossa vida, pode comprometer os resultados que procuramos alcançar com o exercício físico.
 
Na prática de exercício físico hábitos e rotinas baseiam-se, por vezes, em informações erradas, em crenças sem fundamento ou mitos. O treino físico ainda está recheado de muitos mitos, e tal como no artigo da semana anterior, pretendemos esclarecer alguns dos mais usuais, que poderão estar a comprometer os seus resultados.
 
 
Mito – Treino de musculação com máquinas é mais vantajoso
 
As máquinas de musculação, que equipam grande parte dos ginásios, são bastante apelativas e convidativas ao treino, mas muitas vezes são mal utilizadas, e de forma exagerada. Muitos destes equipamentos estão ergonómicamente concebidos para ser confortáveis, os movimentos são normalmente “guiados” e realizados com apoio (sentado ou deitado). Treinar exclusivamente com máquinas demusculação  pode conduzir a uma falsa sensação de segurança, que leva por vezes a abusar das cargas e ao aumento da incidência de lesões, sobretudo em praticantes menos experientes.
 
Estes são alguns dos contras do treino, exclusivo, com máquinas de musculação.
 
Estas alteram a forma como o corpo foi projectado para se movimentar, restringindo bastante as amplitudes em que as articulações podem ser mobilizadas. Isso faz com que este tipo de treino tenha um grau de transferência limitado para muitas das nossas tarefas diárias, porque restringem os padrões de movimento naturais, tornando-os muito analíticos, realizados, muitas vezes, num único plano. É comum ver praticantes de musculação a seguir rotinas focadas em treinar o músculo “A”, “B” ou “C”. Acontece que o nosso corpo pensa em movimentos e não em músculos. “O cérebro conhece padrões de movimento e não os músculos envolvidos” (Paul Check).
 
Os aspectos referidos, podem limitar severamente a nossa capacidade de recrutar, em simultâneo, um maior número de fibras musculares quando treinamos, diminuindo assim o desgaste calórico, a queima de gordura e, claro está, a tão procurada tonificação muscular.
 
 
Mito – Exercícios isolados / localizados são bons para queimar gordura
 
A realização de exercícios isolados, como curl de bicípite, kick-backs de tricípite ou Crunch abdominal não lhe trazem resultados significativos, se o que procura é um corpo tonificado e bem definido. Os exercícios localizados, sobretudo aqueles que envolvem pequenos grupos musculares, não estimulam fibras suficientes e não maximizam o desgaste calórico necessário para obter resultados. Se o objectivo do treino for gastar calorias, queimar mais gordura, melhorando consequentemente a condição física e a tão deseja definição muscular, então a melhor aposta será em exercícios que envolvam mais músculos simultaneamente, ou seja, exercícios mais integrados, mais funcionais.
 
Estes, e outros mitos de treino, podem estar a sabotar a sua capacidade de alcançar determinados objectivos.
 
O segredo para fazer disparar o seu metabolismo, gastar mais calorias, queimar mais gordura e ficar tonificado mais rapidamente, é integrar nas suas rotinas de treino exercícios que permitam ao corpo movimentar-se de forma natural e sem restrições. Deve ser dada preferência, por isso, a movimentos combinados, que recrutem, em simultâneo, um maior número de fibras musculares e que representem um desafio superior. Integre no seu programa de exercício físico uma combinação de treino em circuito, treino de força e treino intervalado. Rentabilize o seu tempo, o seu esforço e consiga os resultados que ambiciona

Periodicidade Diária

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 – 16:16:16

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...