13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

020 - Artigo

Agora que os dias começam a ficar mais longos e a temperatura mais convidativa, verifica-se um pico de adesão à prática de actividade física, especialmente ao ar livre. É, obviamente, uma boa época para se começar a ser mais activo e a ganhar hábitos de vida mais saudáveis que, preferencialmente, se mantenham durante o resto do ano. A Primavera e o Verão são estações óptimas para se experimentarem as sensações positivas que advêm da prática de exercício físico regular e que vão muito para além dos aspectos normalmente valorizados – a beleza e a estética. Existem muitos outros benefícios, bem mais importantes para a saúde e o bem-estar, aos quais não damos tanto valor, talvez por não serem tão visíveis. São por exemplo a melhoria dos índices de colesterol e glicemia no sangue, o controlo da tensão arterial, uma boa disposição e uma auto-estima aumentadas, uma capacidade funcional melhorada para aguentar as exigências diárias, entre outros. Podemos resumir tudo isto numa ideia Bem-Estar geral, e é, no meu entender, o grande benefício que recolhemos de uma prática de vida saudável e que influenciam positivamente muitos outros aspectos do nosso dia-a-dia.
 
Está comprovado que uma melhoria na adesão ao exercício físico e a outros comportamentos ditos saudáveis, reduzem significativamente o risco de morte e incapacidade por doença cardiovascular.
 
Relembro que fazer algum exercício é sempre melhor que não fazer nenhum. É bem mais perigoso ser-se sedentário, ainda que com um peso aparentemente saudável, que ser-se activo com algum peso a mais.
 
Nos dias que hoje correm existe uma grande falta de motivação para a prática de exercício físico. Portugal é um dos países mais sedentários da União Europeia. Talvez seja pelo facto de exigirmos demasiados resultados, em pouco tempo, sem estarmos dispostos a fazer sacrifícios.
 
 
Devemos considerar que a mudança nem sempre é fácil de conseguir, e tornar-se activo não acontece de um dia para o outro. O meu conselho vai no sentido de não exigir demais de si e de não definir objectivos demasiado ambiciosos. Tudo requer o seu tempo e mudar de hábitos não foge à regra.
 
Outro factor que pode ser uma fonte de desmotivação é o tempo, ou melhor a falta deste! As exigências do quotidiano competem, na maioria das vezes, com a disponibilidade que deveríamos ter para a prática de exercício físico. O exercício físico é, na maioria dos casos, preterido em detrimento de outras actividades ou obrigações consideradas mais importantes. Quanto a isso afirmo apenas que quando somos novos ser activo é uma opção, mas com o passar dos anos torna-se uma obrigação.
 
Existem muitos outros factores que podem influenciar negativamente a adesão à prática de exercício físico regular, mas não utilize desculpas para justificar algo que é efectivamente uma necessidade primária…ser activo. Por isso comece por:
·   Estabelecer objectivos realistas e mensuráveis;
·   Determinar o seu grau de confiança para alcançar esses objectivos;
·   Registar no papel uma descrição clara dos objectivos desejáveis e quais os meios necessários para os atingir (faça um contrato consigo mesmo);
·   Verificar, em etapas intermédias, se está a alcançar aquilo a que se propôs;
·   Rever e alterar os objectivos se necessário;
·   Fazer um registo diário daquilo que fez para alcançar esses objectivos;
·   Apoiar-se e envolver a família e os amigos neste processo.
 
Por exemplo, se é sedentário ou moderadamente activo, comece por definir no seu horário semanal 3 momentos de 30 minutos para praticar exercício físico. Se caminhar for a escolha, saiba que gasta cerca de 150 Kcal em meia hora, por isso também pode definir um objectivo em termos de desgaste calórico. O ideal seria um dispêndio mínimo de 1000Kcal/sem, se os seus objectivos forem a saúde e o controlo do peso. Se porventura pretende perder peso os objectivos deverão ser mais ambiciosos e deverão andar na casa das 2000Kcal/sem. Mas não vale a pena queimar etapas, passando dos oito para os oitenta, se não o mais certo é desistir. Se o seu organismo ainda não está preparado para exigir mais dele dê tempo para que este se adapte às demandas futuras. Uma forma subtil de melhorar a sua condição física e o seu desgaste calórico é aumentando a preponderância da actividade física do estilo de vida (AFEV), trocando o carro pela bicicleta ou pelos deslocamentos a pé, utilizando as escadas em vez do elevador, etc.
 
As modificações graduais, que levam mais tempo, são também as mais consistentes e duradouras. Por isso não tenha pressa, só porque o Verão está à porta.
Seja activamente feliz…para o resto da vida!

Periodicidade Diária

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019 – 12:03:30

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...