13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Snowboard

História do Snowboard
 
Vários desportos influenciaram o aparecimento do snowboard, nomeadamente o surf, o skate e bem entendido o esqui. As suas raízes datam, talvez, do princípio dos anos 20 do século XX, quando os jovens desciam pendentes nevadas agarrados a pranchas de madeira.
 
A primeira prancha de snowboard data de 1929 e nasceu das mãos de M.J. Burchett: era constituída por uma prancha de madeira sobre a qual se amarravam os pés por meio de cordões e panos.
 
Em 1963 um jovem adolescente de nome Tom Sims fez, no âmbito de um trabalho escolar o primeiro “ski board”.
 
No ano seguinte o snowboard torna-se desporto de corpo inteiro. Sherman Poppen, pai de uma jovem adolescente com a ideia de a fazer andar de trenó, em pé fez-lhe uma espécie de trenó juntando um par de esquis.
 
Todos os jovens da zona admiraram esta forma de deslizar na neve, o que levou Sherman Poppen a desenvolver o seu conceito de deslizar, que comercializa primeiro na sua aldeia e depois através das lojas de desporto e de brinquedos. Baptiza-o com o nome de « Snurfer », do inglês neve mais surf.
 
No ano de 1970 enquanto deslizava pelas colinas nevadas com bandejas do restaurante Dimitrije Milovich decide melhorar, à sua maneira, o “Snurfer” cujas vendas já se contavam por milhões de unidades, aplicando arestas nos cantos da prancha para que esta se agarrasse melhor à neve.
 
Como manter-se sobre uma prancha? Este difícil problema é resolvido parcialmente em 1973 graças a pedaços de gravilha e vidro, espalhados e colados na superfície da prancha. Mais tarde recorre-se a correias de nylon, fixas sobre os pés, para se resistir à perda de equilíbrio.
 
No ano de 1975 começam a aparecer os primeiros artigos na imprensa sobre o snowboard. A "Newsweek", depois a "Playboy", mostram interesse pelo fenómeno desta modalidade de neve consagrando várias páginas à empresa “Winterstick” de Dimitrije Milovich.
 
Em 1976 aparece um dos primeiros modelos de prancha em “cauda de andorinha”, enquanto os outros modelos oferecem formas arredondadas no talão assim como arestas em aço que permitem enganchar na neve dura.
 
Um outro pequeno génio, Jake Burton Carpenter, começa a experimentar diferentes métodos de construção na sua garagem do Vermont. Depois de dominar de maneira espectacular o « Snurfer » desde o liceu, Jake estava cheio de ideias para melhorar a técnica de surfar nos diferentes tipos de neves.
 
Em 1980, as primeiras tecnologias saídas da indústria do esqui são utilizadas na construção de pranchas.
Burton experimenta as qualidades das solas em P-Tex que deslizam muito melhor.
 
Em 1985, a maior parte das lojas de venda de esquis recusam a venda de pranchas de snowboard, por não quererem estar associados a este desporto considerado perigoso. Das 600 estâncias de esqui em actividade na América do Norte, somente umas trinta aceitam a prática do snowboard. No mesmo ano vê a luz do dia a primeira revista da especialidade cujo título de "Absolute Radical", passa mais tarde a "International Snowboarding Magazine".
 
Dois anos depois o snowboard desenvolve-se em grande na Europa. Numerosos competidores organizam-se na Suiça e noutros países.
 
O snowboard segue o seu percurso vertiginoso atraindo cada vez mais praticantes e na década de noventa do século XX começam a surgir as competições, em grande número.
 
O snowboard segue o seu percurso vertiginoso atraindo cada vez mais praticantes e na década de noventa do século XX começam a surgir as competições, em grande número.
 
Cada vez mais popular, começam a aparecer os especialistas na sua prática. Em 1992 Camille Brichet experimenta saltar o mais alto possível utilizando novas manobras… Daqui nascem as primeiras pranchas Freestyle. Nesse mesmo ano o mesmo Camille Brichet impõe-se nos campeonatos da Europa.
 
No ano de 1994, o snowboard, é reconhecido como desporto olímpico. E nos Jogos Olímpicos de 1998 em Nagano, disputam-se as primeiras provas olímpicas. Nestes jogos o canadiano Ross Rebagliati impõe-se e atrai a atenção do mundo inteiro.
 
Em meados da década de 90, do século passado, calcula-se que o número de praticantes aumenta em média 10% ao ano prevendo-se que este aumento se mantenha durante os próximos dez anos.
 
Neste momento o snowboard está consolidado, como desporto, no mundo inteiro e conseguiu ser aceite em todas as instâncias de esqui vivendo em harmonia com o esqui.
 
As provas de snowboard contêm alguns dos elementos clássicos das corridas de ski alpino, quer em formato individual, quer em formato de frente a frente (em paralelo), assim como contêm competições espectaculares de halfpipe e de pistas especialmente concebidas para a modalidade.
 
Super-G, Slalom e Slalom Gigante - Provas que ocorrem nos moldes das provas de ski alpino, mas desta feita com pranchas de snowboard.
 
Slalom paralelo e Slalom Gigante paralelo - Os corredores disputam um frente a frente em que o vencedor avança para o próximo round.
 
Halfpipe - Os atletas realizam uma série de saltos, truques e manobras num halfpipe e são pontuados pela execução e pelo grau de dificuldade.
 
Snowboard Cross - Os atletas correm uns contra os outros em grupos de quatro ou seis numa pista especialmente construída para este tipo de prova, que inclui curvas inclinadas, saltos, ondulações, entre outros.

  

Periodicidade Diária

quinta-feira, 18 de julho de 2019 – 04:57:19

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...