13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Manuel Gião e Henrique van Uden protagonizam primeira corrida do Kia Picanto GT Cup

 

 

·         Dois estreantes improváveis dividiram os louros no arranque do novo Troféu monomarca da Velocidade Nacional;

·         Hugo Araújo e Filipe Serra completaram pódio dominado pela categoria Pro;

·         Sexto à geral, Mariano Pires foi o melhor na categoria Júnior;

·         Amanhã realiza-se a segunda prova da nova competição.

 

Digna de um conto de fadas. Assim se pode descrever a prestação de ‘sonho’ do ‘rookie’ Henrique van Uden, que apenas três dias após ter vencido o Kia Racing Opportunity (assegurando, desta forma, o seu lugar no novo troféu monomarca da Velocidade Nacional) voltou a demonstrar o seu enorme valor com o triunfo inaugural na estreia do Kia Picanto GT Cup, na icónica Rampa da Falperra.

 

Num exercício de notável maturidade, o piloto de 30 anos aproveitou as duas sessões de treinos livres que antecederam a primeira subida oficial para aprimorar o conhecimento da sua nova viatura e se inteirar do traçado bracarense, acabando por surpreender os seus mais diretos adversários no momento decisivo, com um tempo de 2m49.046s — um registo apenas superado pelo experiente Manuel Gião, outra das surpresas do dia.

 

A realizar a sua estreia na disciplina com o carro nº 141, o piloto do Kia Cee’d TCR no Campeonato de Portugal de Velocidade de Turismos foi 0,829s mais rápido do que van Uden e seria o crónico vencedor caso pontuasse para esta prova, algo impossibilitado, à partida, pelo seu estatuto de convidado Kia.

 

A jóia do Kia Racing Opportunity foi assim promovida ao primeiro lugar do pódio, à frente do bicampeão em título do Super Seven by Kia, Hugo Araújo — que duplicou os seus esforços nesta prova conduzindo, igualmente, outra viatura — e do ribatejo Filipe Serra, figura bem conhecida do todo-o-terreno nacional e que este ano decidiu intercalar o posto de navegador pela aliciante oportunidade de conduzir o novíssimo Kia Picanto GT Cup.

 

GRANDE MOMENTO

 

 

Incrédulo com o resultado obtido, Henrique van Uden mostrava-se em êxtase com o seu desempenho na corrida inaugural do campeonato, salientando o “passado ligado às motos” como determinante para a prestação agora em evidência, na “leitura do terreno” e avaliação das “condições do piso”. Antes, destacou o apoio da Kia Portugal no momento “positivo” que vive atualmente:

 

“Em primeiro lugar, quero dizer que estou muitíssimo agradecido à Kia e que me sinto realmente afortunado por estar a viver este momento. Sem o Kia Racing Opportunity, nunca o teria conseguido. Tenho encarado este desafio com o intuito de me divertir. Mas aplicando igualmente uma postura profissional, porque gosto de encarar as coisas de forma séria. A verdade é que tudo tem acontecido a uma velocidade incrível, da atenção mediática no Facebook, ao meu desempenho e evolução ao volante. Só penso em manter a concentração e o divertimento nas provas seguintes”.

 

 

Já Manuel Gião mostrava-se orgulhoso com a sua prestação, apesar de ter sido sempre “o primeiro a ir para a estrada”, e com isso forçado a ‘limpar’ o piso:

 

“Estou muito contente com este resultado. Olhei para este desafio como uma aprendizagem, porque foi a primeira vez que fiz uma rampa. Mas igualmente com a perfeita noção de que tenho esse ónus de responsabilidade de ser um piloto experiente, e de ter as pessoas sempre à espera de que eu faça um resultado melhor do que todos os outros. Uma coisa é certa: não foi tarefa fácil, até porque todas as subidas foram marcadas por condições distintas: muita água, muita lama e com a estrada totalmente seca. Foi sempre uma grande emoção, porque tive sempre que improvisar um pouco, mas o resultado e a diversão foram excelentes. Gostei bastante e acho que o Troféu Kia Picanto GT Cup tem um ótimo ambiente. Foi, sem dúvida, uma boa estreia!”

 

Apoiados, respetivamente, pelos concessionários Kia “Cardan” e “SGS Car”, Hugo Araújo e Filipe Serra ladearam Henrique van Uden no primeiro pódio da temporada com a certeza de que tanto um, como o outro, têm mais para dar ao volante da viatura.

 

 

Satisfeito com a aposta realizada no Kia Picanto GT Cup, Araújo lamentou “dois pequenos erros” que comprometeram a sua prestação na subida oficial, após uma segunda sessão de treinos em que assumiu o primeiro lugar da tabela de tempos. “Foi aí que me comecei a sentir verdadeiramente confortável com o Picanto”, explicou, voltando a enaltecer “o chassis e a travagem” como os aspetos que o deixaram mais impressionado. “Entrei um pouco depressa demais em duas seções da rampa — erros que se pagam caro em carros tão equilibrados. Foi aí que perdi a possibilidade de lutar pela vitória, mas amanhã cá estarei com a expectativa de poder discutir o triunfo”, garantiu.

 

 

Filipe Serra, por seu turno, compara a experiência ao volante do Kia Picanto GT Cup como “um regresso às origens” proporcionado pelos baixos custos do Troféu, depois de experiências nos ralis antes da fama conquistada no TT.

 

“Foi a primeira vez que andei num carro assim em asfalto, a minha primeira corrida sem ser em terra, e achou que correu lindamente, não podia ter sido melhor. Penso que o Troféu tem um ambiente fantástico, tal como o nível dos pilotos, como o demonstra a vitória, na estreia, do Henrique. Não podia pedir mais!”

 

 

Com um resultado surpreendente, tendo em conta os anos que o separavam da competição, afastado desde 2002, Lourenço Raposo Magalhães destacou a “diversão” proporcionada pelo Kia Picanto GT Cup e que “a secagem do piso antes da última subida foi importante para que os níveis de confiança melhorassem significativamente”. Vontade para regressar não lhe falta: “Despertou-me o bichinho, claramente”, referiu, entre sorrisos.

 

 

Oriundo do karting e ainda sem carta de condução, Mariano Pires, assistido pela Velososo Motorsport,referiu que“este foi um dia de aprendizagem” e que o objetivo era acabar a manhã com o melhor resultado possível, sem arriscar muito.“Ainda assim, fiz o 6º tempo à geral, depois de bater na lateral e perder alguns segundos. Podia ser melhor, mas estou confiante para amanhã”, assegurou.

 

 

MUITO CONTENTE

 

Também com sensações positivas ficou Francisco Marrão. Assistido pela Speedy Motorsport, o piloto quis exprimir a sua “enorme satisfação” com esta primeira experiência competitiva aos comandos do Kia Picanto GT Cup. Assegura, no entanto, que tanto ele, como o carro, “têm mais para dar”. Por isso, a concorrência que se cuide, deixa em tom de brincadeira:

 

“As condições que se fizeram sentir hoje não eram fáceis e eu, particularmente, sofro bastante quando o piso se encontra molhado. Sou um adepto do tempo bom. Quando a pista começou a secar, os tempos começaram a secar. Com 30 minutos de carro, já estar com 2m55... Terminei no 7º posto, mas para mim é como se tivesse concluído a prova no primeiro lugar. Está aqui um grupo espetacular, algo que disse desde o início, no talento e moldura humana.  Claro que ficar a sete segundos do Manuel Gião, em competição, é uma eternidade. Mas se virmos o tempo, as horas que passei com o carro e a experiência dele, estou muito contente com o que está a acontecer”.

 

De regresso à competição e com assistência própria, fazendo as vezes de piloto... e mecânico, Francisco Esperto, piloto que conta com o apoio do concessionário Kia “Autoavenida”, salientou o “grande ambiente” que se vive no campeonato. O oitavo tempo da geral chamou novamente à tona a velha máxima de que “velhos são os trapos”, até porque a chama competitiva se mantém inalterada.

 

 “O meu regresso está a ser fabuloso. Não sabia que esta família Kia era uma família tão divertida e tão dedicada ao trabalho, porque, lá está, são divertidos quando é para a brincadeira e quando é para trabalhar são muito competentes. Penso que estamos todos de parabéns e agora resta-me andar mais com o carro para me adaptar às suas características. Eu tenho um grande problema que é ter-me habituado a travar com o pé esquerdo, o que no Picanto não é o ideal. O segredo é manter a rotação um bocadinho mais elevada”, assegura. “Prefiro travar mais cedo e acelerar mais cedo, e é isso o que pretendo fazer amanhã”.

 

 

Estreia absoluta no automobilismo, o YouTuber do Caronline.TV, Hugo Marcos, surpreendeu ao marcar o 9º tempo, elogiando “o comportamento” e“facilidade de condução” do Picanto, ao passo que Nuno Caetano está “convencido com as sensações produzidas” pela viatura desenvolvida pela Kia Portugal, em parceria com a CRM Motorsport e restantes parceiros.

 

A separá-los esteve João Santos, apoiado pelo concessionário Kia “Corvauto” e ainda em período de adaptação ao Picanto GT Cup, que revelou ter tido uma toada “cautelosa ao início” antes de arriscar “um pouco mais” para perceber o comportamento do carro.

 

Já para Piero Dal Maso e Leonor Espinhal, este foi um dia de descobertas.“Foi a primeira vez que conduzi o carro e estive na rampa, mas gostei muito — o Kia Picanto GT Cup é de facto muito divertido de conduzir”, referiu o piloto, que na corrida de amanhã irá ceder o lugar ao filho Guilherme, de 16 anos.

 

Apoiada pelo concessionário Kia “Univex”, Leonor Espinhal aproveitou este primeiro dia de competição para conhecer melhor o carro e o traçado. “Há ali umas partes que ainda preciso de decorar melhor. Estive à procura de arranjar pontos de referência e hoje apenas subi o banco para me sentir mais confortável no Picanto. Quero sobretudo divertir-me e não estragar o carro”, concluiu. 

 

APOSTA GANHA

 

 

Para o diretor-geral da Kia Portugal, o resultado “fabuloso” de Henrique van Uden valida a aposta da marca em projetos como o Kia Picanto GT Cup e o Kia Racing Opportunity:

 

“Descobrir novos talentos e dar-lhes a oportunidade de ambicionarem uma carreira no competitivo mundo do automobilismo foi sempre o principal desígnio da Kia Portugal nas diversas apostas que tem realizado no desporto automóvel nacional. O triunfo do Henrique na sua estreia competitiva ao volante do Kia Picanto GT Cup, inscrevendo o seu nome como o primeiro vencedor do Troféu, confirma, antes de mais, o seu enorme talento, e deixa-nos a todos com uma enorme sensação de dever cumprido. Parabéns, e que este resultado sirva de incentivo para mais sucessos!”,destacou João Seabra, deixando ainda uma palavra de apreço para Manuel Gião, vencedor virtual da primeira corrida do Kia Picanto GT Cup e igual protagonista do Troféu, naquela que foi a sua estreia nas rampas:

 

“O Manuel é um piloto muitíssimo experiente e não é por acaso que construiu a carreira sólida que todos conhecemos. Este resultado só vem atestar os seus indiscutíveis dotes de condução e continuar a inspirar os mais jovens a seguirem o seu exemplo na forma metódica como encara os desafios que lhe são propostos”.

 

Parceiro da Kia Portugal no desenvolvimento do Picanto GT Cup e do Troféu com o mesmo nome, o CEO da CRM Motorsport, Tiago Raposo Magalhães, salientou o espírito festivo que se viveu neste primeiro dia de competição na Rampa da Falperra, prova pontuável para o Campeonato Europeu de Montanha e que voltou a contar com a presença de muito público na estrada.

 

“Não podíamos ter tido um arranque melhor do campeonato. Apesar da instabilidade das condições climatéricas, todos os pilotos, sem exceção, do Kia Picanto GT Cup, demonstraram uma maturidade incrível na forma como adaptaram o seu estilo de condução ao estado do piso. Deixa-me particularmente orgulhoso constatar a relação salutar que já existe entre todos os concorrentes, visível também aos olhos do muito público que fez questão de nos visitar no Village Kia Picanto GT Cup, e ainda a diversidade do plantel”.

 

Os mais jovens e a Organização da Rampa da Falperra também não foram esquecidos:

 

“Não podia deixar de dar os parabéns ao Henrique e ao Manel pelo andamento evidenciado; deixar uma palavra de apreço para o Mariano Pires, vencedor da categoria Júnior e sexto classificado à geral, que nunca perdeu a confiança nas suas capacidades, apesar de dois sustos nos treinos; incentivar a Leonor Espinhal, que se portou lindamente e não cometeu um único erro na sua estreia com o Picanto; e de agradecer pessoalmente à organização encabeçada pelo Clube Automóvel do Minho pela forma como nos recebeu. Amanhã será certamente um dia marcada por novas e emocionantes disputas, algo que começa a confundir-se com esta competição”.

 

Programa Rampa da Falperra, Domingo, 13 de Maio:

 

08h00 – Treinos Livres

9h30 – Subida Oficial 2

11h30 – Subida Oficial 3

 

 

Classificação Corrida 1:

 

1 – #141 Manuel Gião (Guest), 2:48.217s

2 - #131 Henrique van Hudden (1º PRO), +0.829s

3 - #127 Hugo Araújo (PRO), +2.509s

4 - #138 Filipe Serra (PRO), +3.118s

5 - #132 Lourenço R. Magalhães (PRO), +4.183s

6 - #136 Mariano Pires (1º JÚNIOR), +6.944s

7 - #129 Francisco Marrão (PRO), +7.031s

8 - #139 Francisco Esperto (PRO), +7.101s

9 - #133 Hugo Marcos (PRO), +7.105s

10 - #128 João Santos (PRO), +10.022s

11 - #130 Nuno Caetano (PRO), +12.980s

12 - #135 Piero Dal Maso (PRO), +15.699s

13 - #140 Leonor Espinhal (JÚNIOR), +18.025s

 

Fotos: Nuno Organista

 

 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 19 de novembro de 2018 – 05:39:22

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...