13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

3 Horas de Spa - Vitória esmagadora para a dupla inglesa Oliver/Grahame Bryant

 

Ford GT40 da dupla pai e filho Bryant venceu as 3H de SPA

Segundo e terceiro lugar separados por 0,7 décimas

O raro Elva Mk8 da equipa belga garante o segundo lugar

H-71 decidido nas duas últimas voltas após desistência do Lotus 47

 

Quem esteve no circuito de Spa-Francorchamps neste sábado voltou a assistir a momentos de cortar a respiração. Na corrida de três horas do Iberian Historic Endurance, o domínio da qualificação dos Ford GT40, veio fazer-se sentir na prova, onde a

dupla pai e filho Bryant veio a vencer as 3h de spa. O interesse dos espectadores ficou retido na disputa da segunda posição entre o Elva MK8 Belga e o TVR Griffith Inglês.

 

A edição de 2018 das 3 Horas de Spa, corrida que revive da melhor forma o espírito das competições de resistência, teve várias surpresas. Realizada ao fim da tarde, para que pilotos e equipas pudessem experienciar o que é uma prova com diferentes condições de luminosidade na pista, a corrida recebeu 7 dezenas de automóveis de 12 diferentes marcas definiram parte da história do desporto automóvel mundial.

 

A sessão de qualificação deixou bem evidente que os poderosos Ford GT40 seriam fortes candidatos ao triunfo, e dando continuidade ao domínio britânico das duas equipas, os mesmos mantiveram a primeira parte da corrida nas duas primeiras posições. O pelotão perseguir era liderado pelo Elva MK8, pelo TVR Griffith da dupla Inglesa Dupont/Lambilliote e pelo Merlyn da dupla Portuguesa Barbot/Matos.

 

No entanto, a 50 minutos do fim, a dupla Davies/Newall desiste, deixando a frente do pelotão entregue ao Merlyn Português com o GT40 da família Bryant a tentar alcançá-lo.

 

 

Com Oliver Bryant ao volante, mantendo os níveis de concentração e velocidade, iniciou um “Stint” fantástico, acabando por conseguir a liderança a 40 minutos do fim e vencer a prova e a categoria H-65B. Com o Merlyn a atrasar-se com problemas mecânicos, o segundo lugar foi conquistado pelo Elva Mk8 da dupla Peters/Zurstrassen que cruzou a meta com apenas 0.7 décimas do terceiro lugar, pertencente à dupla Dupont/Lambilliote no TVR Griffith.

 

Não foi apenas a liderança da corrida que teve lutas interessantes. Na categoria H1971, a maior surpresa acabou por ser a desistência da dupla vencedora do ano passado Gomes/Claridge a duas voltas do fim, que acabou por ser ganha por Brugmans/De Borman no BMW 2002 TI, e a segunda e a terceira posição a serem discutidas até final para o Porsches 911 S/T Português de Dal Maso/Carvalhosa que ficou à frente do Porsche 914/6 Francês de Chriqui/Douart, por apenas 4.5 segundos ao final de 3 Horas de prova.

 

Na categoria H-76, vitória para o Ford Escort RS1600 de Christoforou/Sanders, que terminou em 5º lugar da geral, seguido da equipa portuguesa Gaspar/Gaspar em Ford Escort RS 2000, que habitualmente participa no Grupo 1 Portugal, e da dupla espanhola Pai e Filho Sanchez/Sanchez em Porsche 911 2.7 RS.

 

Nos H-65A, o exótico Marcos 1800GT levou a conhecida dupla Inglesa Tice/Conoley ao primeiro lugar do pódio, segundo lugar para o Lotus Elan da dupla Italio/Suíça Perfetti/ Rovelli e a dupla Dinamarquesa Lokvig/Birkelund no pequeno Ginetta G4R a conseguir a terceira posição.

 

A categoria mais importante do Iberian Historic Endurance, a BRM Index Performance, acabou por ser ganha pela dupla Espanhola Fernandez/Casabella em Matra Djet 5, mas como já tinham vencido em Jarama, o relógio BRM acabou por ser entregue ao segundo lugar Perfetti/Rovelli no seu eficaz Lotus Elan 26R.

 

Para Diogo Ferrão, as corridas do Historic Endurance voltaram a provar-se emocionantes e a de Spa foi uma das melhores desde que a competição foi criada. “Não se pode pedir muito mais quando assistimos ao preenchimento de uma grelha de partida com mais de 70 automóveis, muitos deles com um valor incalculável. Estas provas de maior duração põem em destaque não só a velocidade pura, mas também a regularidade dos Pilotos, ao mesmo tempo que as equipas têm de conseguir ler a corrida e alterar as estratégias em função disso. É uma complexa máquina, e exige praticamente perfeição de todos os membros da equipa durante as 3 horas para conseguir um resultado desejado. Afinal, numa corrida de resistência com vários pilotos e diferentes estratégias de reabastecimento, tudo pode mesmo acontecer.”, afirmou.

 

Concluída mais uma jornada do Historic Endurance, a competição fará uma pausa por dois meses. A próxima ronda é já nos próximos dias 22 e 23 de setembro, na que é considerada a maior concentração de clássicos da Andaluzia, em Jerez de la Frontera.

 

 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 19 de novembro de 2018 – 22:33:57

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...