13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Miranda-Mortágua domina pódio do Grande Prémio Anicolor

 

 

Três ciclistas no pódio e um dia de excelente desempenho coletivo da equipa Continental UCI Miranda-Mortágua é o resultado do III Grande Prémio Anicolor, que ontem, dia 20 de maio, uniu os concelhos de Oliveira do Bairro a Águeda ao longo de 142,6 km. Francisco Campos terminou na 5.ª posição da Geral e foi o melhor Sub-23 em prova, Nuno Meireles venceu as Metas Volantes e António Barbio triunfou nos Pontos Quentes. Contas feitas, o 5.º lugar na Geral por Equipas foi para a MirandaMortágua, o que vem apenas confirmar a boa prestação coletiva.

Logo ao quilómetro 30 a corrida começou a desenhar-se, quando um grupo com 19 corredores se adiantou na frente. Entre eles estavam três ciclistas Miranda-Mortágua – António Barbio, Nuno Meireles e Gonçalo Carvalho –, situação bastante favorável para a equipa, que soube aproveitar esta vantagem da melhor maneira. António Barbio, aos 11 km, foi o primeiro a passar no Ponto Quente instalado na primeira passagem pela meta. Ao repeti-lo na segunda passagem assegurou esta classificação, envergando no final a Camisola Vermelha.

A fuga inicial viria a partir-se e apenas quatro ciclistas continuavam isolados. Nuno Meireles era um dos resistentes e ao passar em primeiro nas duas últimas Metas Volantes levou também esta classificação para casa, vestindo a Camisola Verde. 

Este grupo entrou na fase mais dura da etapa ainda isolado e no pelotão, com o grande aceleramento que houve, apenas um grupo restrito de 10 unidades passou na frente onde estava inserido Francisco Campos, que dava garantias no caso de uma chegada em grupo compacto. Nuno Meireles, que seguia ainda na frente de corrida, foi alcançado e ajudou na perseguição mas não foi mais possível alcançar os homens da frente. Contudo, Francisco Campos no sprint foi o 5.º do pelotão, terminando como o melhor Sub-23 na prova e no final vestiu a Camisola Branca.

Toda a equipa estava muito satisfeita. Pedro Silva, diretor desportivo da MirandaMortágua, lembrou o início da temporada complicado e a falta de motivação de todos nessa sequência, mas sempre acreditou nas qualidades dos seus ciclistas.
 
 
Tentámos ultrapassar o que foi acontecendo de menos bom e as coisas acabariam por suceder. Só foi preciso conseguirmos o primeiro pódio, na semana passada, para tudo surgir naturalmente”, explicou. “Estou satisfeitíssimo com o comportamento de toda a gente, não só daqueles que subiram ao pódio mas de toda a equipa porque estão-se a aproximar os maiores acontecimentos da época, como o Grande Prémio JN, os Campeonatos Nacionais, a Volta a Portugal, assim como outros prémios internacionais e queremos dignificar os nossos patrocinadores e principalmente a nossa marca”. 
 
A prova deste domingo, para Pedro Silva, representou “um esforço coletivo enorme de todos. Estivemos inseridos nos grupos durante a corrida o que nos permitiu desde logo lutar pelas classificações secundárias. No final, o Francisco Campos esteve muito bem ao passar as montanhas na frente e ainda tentámos fechar o espaço para a frente, mas não foi possível. Acabamos por sair com três ciclistas no pódio e um balanço claramente positivo, o que nos traz uma moral renovada. Venha agora o JN”, concluiu.
 

Para Nuno Meireles foi um “ótimo dia” para a Miranda-Mortágua. Estive na fuga e fizemos as metas volantes e pontos quentes, é a recompensa de todo o trabalho que temos feito, apesar do início da época não ter corrido da melhor forma. Mas sabíamos que as coisas iam acabar por correr bem e aí está a equipa, no Grande Prémio Anicolor, com três camisolas, o que nos dá excelentes perspectivas para o que se avizinha”.
 

Já Francisco Campos, que tinha subido ao pódio na semana passada, garantiu que tudo foi possível “apenas graças ao trabalho da equipa, que tem sido bastante duro ao longo das últimas semanas. Temos em vista o JN, que é uma competição muito importante a nível nacional mas tudo tem sido possível mesmo porque temos trabalhado muito e os resultados finalmente estão a surgir”.
 

António Barbio é da mesma opinião: “Esta camisola só foi possível pelo trabalho que foi feito por toda a equipa. Tentámos lutar por algumas classificações secundárias, o Francisco voltou a conseguir um excelente resultado e é tudo isto que nos dá um grande alento para o que vem as seguir, neste caso o Grande Prémio JN, no qual vamos concentrar todas as nossas atenções”.
 
CLASSIFICAÇÕES GERAIS:
 
CLASSIFICAÇÃO ETAPA:

1.º - Luis Gomes (RP/ Boavista) 3h29m26s 
5.º - Francisco Campos (Miranda-Mortágua) a 8s
22.º - Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) a 38s 
27.º - Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 2m09s
37.º - Damien Cordeiro (Miranda-Mortágua) a 3m56s
44.º - José Sousa (Miranda-Mortágua) mt
48.º - Tiago Leal (Miranda-Mortágua) mt
53.º - Pedro Teixeira (Miranda-Mortágua) a 5m05s
54.º - António Barbio (Miranda-Mortágua) mt
 
CLASSIFICAÇÃO JUVENTUDE:
1º - Francisco Campos (Miranda-Mortágua)
 
CLASSIFICAÇÃO METAS VOLANTES:
1.º - Nuno Meireles (Miranda-Mortágua)
 
CLASSIFICAÇÃO PONTOS QUENTES
1.º - António Barbio (Miranda-Mortágua)
 
CLASSIFICAÇÃO POR EQUIPAS

1.º - RP/ Boavista
5.º - Miranda-Mortágua

 

 

Periodicidade Diária

quarta-feira, 21 de novembro de 2018 – 08:20:35

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...