13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Academia João Cardiga tem 7 atletas no ranking internacional

 

São sete, os atletas, de Equitação, da Academia Equestre João Cardiga, com e sem deficiências, que integram as listagens do ranking da FEI-Federação Equestre Internacional (www.fei.org).

 

Na disciplina de Dressage,  no escalão Júnior FEI, surgem:

 

 

Beatriz Gonçalinho/Dante (401ª posição)

 

 

Rita Rodrigues/Festina 31 (402ª)

 

 

Carolina Gonçalinho/Bingo (417ª)

 

 

Beatriz Reto/De Plaisir, a melhor posicionada (173ª posição) e pré-selecionada pela FEP – Federação Equestre Portuguesa, para uma eventual participação, em representação de Portugal no Campeonato da Europa de Ensino a realizar em Fontainebleau (França) de 7 a 15 de Julho de 2018.

 

Na disciplina de Pradressage (Equitação Adaptada), estão:

 

 

Inês Alemão Teixeira/Giraldo da Sernadinha (16ª posição do grau III e 66ª na geral)

 

 

Sara Duarte /Daxx du Hans (14ª posição do grau II e 85ª na geral)

 

 

José Neves/Vendetto (27ª posição do grau I e 128ª da geral), também estes elegíveis para uma possível participação no FEI WORLD EQUESTRIAN GAMES que se realizará em Tryon – USA de 11 a 23 de Setembro 2018.

 

Segundo a direção da Academia:

- “O projeto de inclusão desportiva, “Equitação Para Todos”, tem como um dos objetivos desportivos, a preparação de cavalos e cavaleiros para o que designamos por “caminhada olímpica e paralímpica”. Ora com a entrada no ranking FEI destes 7 conjuntos, podemos afirmar que esta visão, está cada vez mais clara.

Quando em 2012, iniciámos a 1ª edição do trofeu Dressage Poneis, lançámos a semente desta realidade. Esta equipa e 4 atletas, iniciou o seu percurso nesta altura. Podemos afirmar que a Dressage Poneis é, pois,  um projeto bem sucedido.

Quanto à Paradressage, apesar de todas as dificuldades nesta área, conseguir uma equipa de 3 conjuntos no ranking mundial é um feito, só possível, devido à continuidade do apoio dos Jogos Santa Casa, desde 2015 e mais um motivo para estarmos muito satisfeitos com o trabalho desenvolvido”. Conclui Maria de Lurdes, presidente da direção da AEJC.

 

O que é a Paradressage?

 

A Equitação Adaptada insere-se na modalidade de Ensino ou Dressage. Destina-se a pessoas com deficiências físicas e consiste, basicamente, em provas de ensino adaptadas ao grau de capacidade de cada atleta, que fazem parte dos Jogos Paralímpicos.

 

O campeonato é composto por provas que os atletas disputam segundo o seu grau de limitação física, através de uma avaliação funcional feita por fisioterapeutas.

 

Os cavaleiros são avaliados por fisioterapeutas e de acordo com o perfil de capacidades de cada um, são colocados em diferentes graus. Existem 5 graus: Ao grau 1 e 2 a que correspondem exercícios a passo e/ou trote,  o Grau 3 exige exercícios nos três andamentos (passo, trote e galope) e o Grau 4 e 5 exige trabalho em duas pistas (ladeares, espáduas-a-dentro, etc.), portanto uma prova com um razoável nível de dificuldade. Este grau (5) destina-se a pessoas com deficiências consideradas menores e a exigência em termos de equitação é muito maior.

 

 


 

sexta-feira, 21 de setembro de 2018 – 02:27:52

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...