13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

DS X E-Tense: O sonho para 2035

 

 

Feche os olhos e deixe que a sua imaginação lhe mostre como poderá ser o seu automóvel de sonho em 2035. Use os seus sentidos para  descobrir como nova formas, novos materiais e novas tecnologias podem ser combinadas para apresentar um veículo que, no futuro, simbolizará o luxo em quatro rodas. Foi esta a estimulante missão confiada aos homens e mulheres da DS Automobiles: imaginar um automóvel de sonho para 2035. O fruto da sua fantasia coletiva é o DS X E-TENSE, um modelo de requinte incomparável.

 

um DESAFIO ao futurismo

 

Além da sua reputação de marca automóvel capaz de transformar ideias de vanguarda (avant-garde) em realidade, a DS Automobiles tem vindo também a destacar--se como embaixadora do savoir-faire francês. Recentemente, a DS Automobiles, expoente máximo da aliança entre requinte e tecnologia, decidiu abraçar um desafio singular: exercer a sua reconhecida experiência e cultura para imaginar um objeto de desejo.

 

Com a indústria automóvel a viver atualmente um clima de constante mutação, os profissionais da DS Automobiles foram incumbidos de dar vida ao que é o seu sonho de carro do futuro, partilhando a sua paixão pelo automóvel sem ter de lidar com constrangimentos pré-determinados. O fruto dessa viagem apaixonada e sem restrições é o DS X E-TENSE.

 

A sua visão para 2035 é muito diferente da atual. Os designers da DS procuraram combinar as vantagens da tecnologia avançada com uma vasta dose de criatividade, dando resposta aos clientes que procuram o melhor para si e à forma como percecionarão o luxo francês daqui a 18 anos, por mais diferentes que sejam as suas necessidades.

 

O resultado é um carro incrivelmente belo, mas também sensual e estimulante, com a mesma veia revolucionária do DS original, que surpreendeu todo o mundo automóvel 80 anos antes de 2035.

 


 

UMA EXPERIÊNCIA radicalMente DiFERenTe

 

O acesso ao habitáculo é feito através de uma porta Elytre revestida numa malha em fibra de carbono e cabedal. Inevitavelmente, o olhar é atraído pela arquitetura piramidal do único banco, que se adapta na perfeição à estatura do condutor como acontece com os bancos utilizados nos carros de competição; a posição reclinada do banco contribui para o baixo centro de gravidade do carro.

 

Por sua vez, o volante, além de manter o essencial do simbolismo da paixão automóvel, é uma combinação sedutora de cabedal, madeira e metal, e incorpora sensores capacitivos para monitorizar o esforço do condutor. O cabedal em dois tons, Azul Millennium e Azul Navy, tem o tradicional acabamento da DS com um padrão de costuras de efeito pérola.

 

No mínimo tão carismáticos como o volante, os pedais foram também objeto da atenção obsessiva dos designers pelos detalhes. Estes apontamentos, por si só, contribuem para a promessa de uma experiência única, uma vez instalados no habitáculo, e proporcionam ao condutor uma dose de adrenalina mesmo antes de avançar.

 

 

Um casulo de conforto

 

A arquitetura assimétrica do DS X E-TENSE oferece ambientes diferentes à esquerda e à direita do habitáculo. Ao aceder ao mesmo através da porta ‘asa de gaivota’, o condutor, sozinho ou acompanhado, torna-se num passageiro. Esta configuração assimétrica liberta uma dimensão diferente de espaço sob o tejadilho em vidro transparente, com o passageiro envolto numa cápsula e comodamente sentado num banco com ventilação e massagem, que se alonga para trás como a asa aberta de um pássaro e que apresenta um motivo de asa em forma de estrela na parte superior das costas.

 

Viajar com o modo autónomo ativado representa uma experiência excecional, fomentando outros sentidos para além do toque, incluindo o prazer de desfrutar da plataforma do sistema de alta-fidelidade que constitui o ‘tablier’.

 

O piso em vidro transparente eletrocromático permite ver a estrada a passar por baixo do carro, enquanto a sumptuosa mistura de cabedal, madeira e metal existente no casulo atrai o olhar e pacifica a mente. A combinação de azul navy e tonalidades em vermelho vivo suaviza a luz que penetra no carro, ao passo que a fluidez das linhas é acentuada pela ausência de ecrãs ou tablets, substituídos pela superfície vidrada do carro.

 

Os passageiros gozam de um ambiente calmo e protetor, incluindo ar filtrado e perfumado, o que contribui para o requinte exclusivo que se dá quando o ocupante passa a condutor ou, em alternativa, pelo próprio carro em modo autónomo. Um banco adicional possibilita viagens a três.

 

Além da conectividade com o mundo exterior, um assistente pessoal designado IRIS assume a forma de um holograma e comanda as funções do veículo.

 

 

tecnologias InspiradORAS

 

O afastamento de ideais preconcebidos teve como resultado um carro que é ‘leve como uma pena’ e ‘silencioso como uma brisa’, forjado pela paixão dos seus criadores para pessoas apaixonadas por automóveis.

 

Localizados entre as rodas dianteiras, os dois motores eleitos como força motriz para a locomoção 100% elétrica do DS X E-TENSE proporcionam uma resposta sem igual. Em utilização em estrada, a potência máxima situa-se nos 400 kW (540 cavalos), um valor que sobe para 1.000 kW (1.360 cavalos) em modo ‘circuito’, o que permite ao condutor saborear a requintada performance da suspensão desenvolvida pela DS Performance, a equipa técnica por detrás do programa de Fórmula E da DS. O chassis em fibra de carbono assenta em inovadoras molas e barras de torção, enquanto a tração, aderência e desaceleração são controladas por um sofisticado sistema concebido para otimizar a performance, qualquer que seja o piso.

 

Imaginar um carro de sonho para 2035 levou a DS Automobiles a criar um conceito assimétrico de três lugares com base numa junção inovadora de dois veículos num só, que permite aos proprietários escolher o modo de condução que se ajusta às suas necessidades do momento. Graças às novas tecnologias, a carroçaria tem a capacidade de recuperar as suas formas originais após um impacto, ao passo que a configuração da grelha dianteira e as capacidades de refrigeração do DS X E-TENSE se adaptam aos caprichos do condutor. Graças às cortinas de luz DS LIGHT VEIL, a intensidade da iluminação ajusta-se em função das necessidades dos ocupantes, do veículo e do seu ambiente em redor.

 

 

um sonho para 2035

Concebido para ser uma visão do que poderá ser um automóvel de sonho no ano 2035, o DS X E-TENSE é a estrela de um filme que será divulgado nos cinco continentes, nos mercados onde a DS Automobiles está mais ativa.

 

QUINTESSÊNCIA– YVES BONNEFONT, CEO da DS AUTOMOBILES

 

“Como fabricante de automóveis, a DS Automobiles tem as suas principais raízes no Século XXI, estando, neste momento, a entrar num novo capítulo da nossa história, com o lançamento de uma segunda geração de novos modelos. A energia e jovialidade da marca DS constituem, claramente, um ativo e, com o DS 7 CROSSBACK, continuamos a mostrar isso mesmo, pois as bases deste novo modelo emergem de uma vasta gama de veículos que estão à frente no seu tempo.

Não é segredo que estamos já a pensar na nossa próxima geração de automóveis e, dada a revolução que está a transformar a nossa indústria, o nosso trabalho de desenvolvimento centra-se principalmente na eficiência da energia – independentemente da sua origem – e nas assistências ao condutor, para mais conforto e segurança.

Neste momento, já sabemos mais ou menos como vai ser a nossa gama em 2025, portanto, para manter o estímulo elevado, decidimos impôr a nós próprios outro desafio interno que foi dar vida ao automóvel dos nossos sonhos. O espaço temporal para este sonho tinha de ser um futuro suficientemente distante. Por conseguinte, escolhemos 2035 como o ano para esta nossa criação.

O DS X E-TENSE é uma criação nossa. As nossas equipas técnicas e de estilo tiveram liberdade absoluta para concretizar os seus sonhos. Imaginámos como os clientes irão viver e a forma como irão obter prazer ao volante de um DS no ano 2035. Pessoalmente, o meu sonho foi o de uma máquina que adoraria utilizar não apenas como um apaixonado por automóveis mas também como cliente.

Tiro o chapéu aos homens e mulheres que uniram os seus sonhos neste carro soberbo.

Materializado graças ao savoir-faire dos nossos especialistas, o DS X E-TENSE tem tudo a ver com emoções humanas, conduzidas pelo espírito avant-garde que procuramos promover de forma coletiva e como apaixonados por automóveis.

 

 

EVOCAçãO– THIERRY METROZ, diretor de design da DS AUTOMOBILES

 

Tivemos total liberdade para dar forma aos nossos sonhos e este processo criativo levou-nos a imaginar um automóvel com duas facetas, capaz de proporcionar o melhor de dois mundos: proporcionar um prazer de condução elevado e sem restrições, dispor de uma potência abundante, e combinar a arte de viver ‘à la française’ com condução autónoma. De certa forma, o DS X E-TENSE surge como uma reinterpretação de um side-car de uma moto, com uma forte postura assimétrica, mas sobre quatro rodas.

O nosso principal desafio foi conceber um roadster verdadeiramente radical, capaz de acelerações fenomenais. Animado por dois motores elétricos, o DS X E-TENSE foi concebido para proporcionar sensações de condução genuínas, com uma dose de adrenalina reforçada pela configuração a céu aberto. O condutor usa um capacete especial e assume uma posição reclinada num banco tipo bacquet que faz parte da carroçaria do carro, mas que é totalmente ajustável. Há uma clara ligação entre as cores e os materiais escolhidos para o exterior e o interior, sendo que o volante ocupa um ponto muito focal do habitáculo, assim como os pedais, tal como os conhecemos há mais de um século. Outros aspetos fundamentais incluem controlos físicos que abrangem as suas funções básicas, sob a forma de teclas cinzeladas, combinadas com outros detalhes de assinatura DS, tais como os acabamentos em guilhochado Clous de Paris.

Fizemos, também, amplo uso do cabedal, cuja singular elaboração garante um conforto excecional e um elevado apelo estético, formando, ao mesmo tempo, uma ligação quase integral com a carroçaria pelas costuras em efeito pérola. A instrumentação minimalista inclui um velocímetro e um indicador do nível de bateria, ambos visíveis com um só olhar, juntamente com um relógio virtual resultante da imaginação da B.R.M.

Do casulo do interior emana uma sensação de espaço, onde a sensualidade ocupa o lugar da adrenalina. Sempre que oiço as pessoas dizer que os veículos autónomos vão fazer com que os condutores trabalhem em andamento, tenho de admitir que não concordo totalmente com este pensamento. Na verdade, vejo a condução autónoma como algo que irá permitir-nos ‘desligar’ e ter prazer em viajar! Gostava de ver os passageiros a ter tempo para eles próprios, pois o tempo é um bem precioso. Um denominador comum a todos os automóveis concebidos pela DS Automobiles é o desejo de conjugar a noção de prazer com a arte de viver ‘à la française’.

Desenvolvido em associação com a Focal, o tablier em madeira acolhe todos os elementos que fazem parte do sistema de som, que é capaz de reproduzir a qualidade de uma atuação ao vivo. Informações e até filmes podem ser projetados nas superfícies vidradas; num compartimento feito à medida, está alojada uma máquina de café.

Todas estas funções são controladas pelo IRIS, o ‘assistente pessoal’ do modelo. Partilhando o nome com o órgão que define a cor dos nossos olhos, assume a forma de um holograma que flutua no espaço, tanto no casulo como no habitáculo. Os ocupantes podem dar ao IRIS a aparência que desejarem, desde uma figura humanoide, a uma esfera desenhada a partir de um padrão de ligações neurais, ou mesmo algo completamente diferente. Além de funcionar como interface homem-máquina do DS X E-TENSE, o IRIS está conectado ao mundo exterior.

As cores que escolhemos estão já associadas ao estilo de luxo francês, com apontamentos em vermelho pigmentado no interior do casulo, em contraste com o Azul Millennium da carroçaria. Esta tonalidade azul escuro forte combina o azul e o verde presentes no repertório de cores elaborado no Século XVIII por Louis Bertrand Castel, e o seu brilho é uma alusão ao mundo da moda.

Também procurámos desmaterializar a assinatura luminosa do modelo. Presentemente, todos os carros são feitos da mesma maneira, com capot, para-choques e guarda-lamas, e faróis posicionados na junção desses elementos. No futuro, achamos que os faróis serão desmaterializados e que a própria superfície da carroçaria servirá de fonte de luz. As cortinas de luz DS LIGHT VEIL conferem ao DS X E-TENSE uma assinatura visual que pode assumir diversas formas, com diversas cores e graus de brilho. Os pontos pérola iluminados situados em cada um dos lados do para-choques dianteiro são um apontamento tipicamente DS.

Por sua vez, a grelha de desenho paramétrico integra-se de modo uniforme no capot bicolor, cujo duplo vinco está alinhado com o condutor e a linha central do cockpit. O acesso ao cockpit e ao casulo é feito através de portas Elytre e ‘asa de gaivota’, respetivamente, ambas dotadas de pegas niveladas à superfície da carroçaria.

O emblema DS na traseira é sublinhado por duas linhas gráficas que se estendem da zona superior do habitáculo ao difusor em forma de ‘X’. Este ‘formato X’ também está presente nas laterais do carro que emolduram o emblema da DS Performance. A mesma linguagem arrojada está também patente em diversos pontos do interior como o volante e os bancos, em alusão ao nome do carro: DS X E-TENSE.

A parte inferior é dedicada à eficiência aerodinâmica e integra um difusor inteligente. Tal como as luzes dianteiras, as luzes traseiras com efeito de escama – que também indicam as diferentes fases de recuperação de energia – foram desmaterializadas e assumem cortinas de luz integradas na superfície dos painéis da carroçaria.

É preciso dizer que os ‘concept cars’ que temos visto nos salões de automóveis dos últimos anos não nos impressionaram particularmente. Dão a impressão de que a noção de prazer foi sacrificada na nova geração de ‘concept cars’ de carros elétricos e/ou autónomos que tendem a mergulhar os ocupantes numa bolha recheada de ecrãs e bancos sintéticos. Na DS Automobiles procuramos distanciar-nos desta ideologia de forma a realizar os nossos sonhos e motivar o público a não perder de vista os seus. Não quisemos, de forma alguma, conceber um carro vulgar e inexpressivo. Embora importante, o design não é apenas uma função de utilização final. Por conseguinte, foi essencial juntar um toque de criatividade e arte; ou mesmo uma forma de poesia. É por isso que o DS X E-TENSE exprime uma certa dualidade, não apenas entre as zonas interiores do cockpit e do casulo, mas também entre o prazer de condução e a sensualidade, combinadas com eficiência tecnológica. As necessidades dos condutores podem ser radicalmente diferentes entre si, mas o objetivo da DS é corresponder a todas elas.”

 

 

IMPLEMENTAçãO – ÉRIC APODE, vice-presidente sénior de produto e desenvolvimento do negócio da marca DS

 

Sempre que começamos a conceção de um novo modelo, todos os membros das equipas da DS Automobiles contribuem com as suas competências e especializações. Os designers e os gestores de produto estão sempre a explorar novos campos e ideias, enquanto os engenheiros técnicos, naturalmente, procuram estar sempre na vanguarda das suas respetivas áreas. Na DS, vemo-nos a nós próprios como pioneiros, com a missão de ir além do pensamento convencional. Apenas depois - uma vez tomadas todas as decisões criativas mais importantes - estamos preparados para fazer compromissos, já tendo em consideração a produção e comercialização do veículo.

O DS X E-TENSE é um a caso à parte. Dado que o objetivo era dar vida a um sonho, não nos deparámos com grandes desafios e problemas relacionados com o produto. Todas as partes envolvidas tiveram liberdade absoluta para expressar os seus sonhos e esta conexão entre tecnologia e poesia resume a forma como o luxo francês pode ser aplicado ao automóvel.

Embora o propósito do DS X E-TENSE seja dar corpo a um carro de sonho, estou convencido de que os nossos clientes se identificam com as nossas ideias. A nossa intenção foi sublinhar eficazmente os dois mundos distintos que podemos ver emergir, com um carro que gera dois tipos de emoção. No cockpit, a prioridade é conduzir; conduzir a alta velocidade e soltar a extraordinária potência do carro para viver novas sensações ao volante. Viajar na zona do casulo apela a outro tipo de sensações. Sentimos uma necessidade de estar protegidos, tranquilos e seguros, e ter tempo para nós próprios.

A condução autónoma abre novas perspetivas e pode ser comparada com viajar numa nave especial, em total segurança, claramente com o objetivo de erradicar os acidentes e, simultaneamente, poupar tempo. É um conceito rápido e seguro, no conforto de um casulo, com a marca da DS Automobiles.

No que toca ao prazer de condução, porém, a condução autónoma tem, obviamente, os seus limites. Na DS Automobiles acreditamos nos carros e não queremos que desapareçam as sensações associadas com o ato de conduzir. Em 2035, esta perspetiva pode, muito bem, estar obsoleta, com a ideia de ter quatro rodas, um volante e pedais a parecer um conceito retro. O que é certo, porém, é que não temos qualquer intenção de sermos vistos como um mero fornecedor de mobilidade e o DS X E-TENSE não foi concebido para o carsharing. Eu alimento a esperança de que os nossos clientes vão continuar a ter paixão por carros e vão continuar a querer possuir o seu carro de sonho. A nossa intenção é abordar aqueles que sentem paixão pela cultura e história automóvel, que sentem orgulho e acarinham o seu carro, que querem vivenciar sensações radicais e ter uma sensação de luxo. 

No campo técnico, as nossas equipas tiveram total liberdade para exprimir os seus sonhos, numa clara ligação com as características que têm definido os modelos da DS Automobiles desde a criação da marca. O casulo tem tudo a ver com conforto. A utilização de materiais totalmente novos, como penas para os revestimentos interiores, constitui um avanço face às espumas de dupla densidade que empregamos hoje nos bancos do DS 7 CROSSBACK. Ao mesmo tempo, as ultrassofisticadas ajudas ao condutor e inovações tecnológicas que DS X E-TENSE possui são versões sofisticadas dos conceitos apresentados no nosso primeiro SUV, o qual representa um corte com o passado e estabelece um marco para as nossas ambições para o futuro. A sua suspensão preditiva, a capacidade para a condução semiautónoma, a visão noturna e o isolamento acústico são disso exemplo.

Quando chegou o momento para escolher a fonte de energia para o DS X E-TENSE optámos por dois motores elétricos posicionados em cada uma das rodas da frente. As dimensões compactas e a fiabilidade dos motores elétricos, associadas à satisfação de beneficiar de um fluxo de potência imediato, eclipsou todas as outras opções. Os enormes progressos já alcançados em competição na Fórmula E, tornam o sonho de dispor de níveis incríveis de potência numa probabilidade cada vez maior a médio prazo. Os dois motores estão acoplados a um sistema de transmissão que gera as suas próprias sensações, enquanto a posição central traseira das baterias assegura uma distribuição de peso equilibrada, contribuindo para o comportamento dinâmico neutro do DS X E-TENSE, ainda mais aperfeiçoado pela sua inovadora suspensão.

Os travões são também ‘avant-garde’ e constituem a primeira vantagem palpável do nosso programa de desenvolvimento da Fórmula E. No nosso entender, as pastilhas de travão serão uma coisa do passado, dado que os motores inseridos nas rodas terão a capacidade de abrandar o carro graças à ação simultânea de recuperação de energia produzida pela desaceleração. Os motores elétricos também anunciam o fim da emissão de partículas produzidas nas travagens.

Somos uma marca jovem e, em conjunto, congregámos os nossos sonhos para conceber o DS de 2035. Pela minha parte, adoraria acelerar agora até 2035 para poder conduzir uma criação como esta!

 

 

 

 

 


 

terça-feira, 25 de setembro de 2018 – 05:30:00

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...