13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

4ª Corrida "Rota do Queijo" de Lousa

3 de Maio de 2015

 


Realizou-se hoje a 4ª Corrida "Rota do Queijo" de Lousa.

 


Foram 8.100 metros que esta rapariga correu, este ano em 47m54s, média de 5:55/Km que diz nada por causa do desnível

 


Prova integrada  no Troféu Corrida das Localidades de Loures, que vai este ano na sua 31ª edição e põe muita gente a correr, motivando muitos atletas a treinar e a competir ferozmente ou apenas a correr numa manhã de domingo. Saliente-se que as provas do Troféu são todas elas de inscrição gratuita e abertas à população em geral.

 


E quem gosta de correr, pode lá estar e ter uma manhã muito agradável. Foi o que aconteceu a esta rapariga, a par do ano passado, e por favor de amigos, viu-se inscrita em representação do clube União Atlético Povoense e tem neste momento um dorsal, o nr. 1580 que pode usar nas restantes provas deste Troféu.

 


A prova está bem organizada e é no singelo entender desta moça, uma prova simples mas muito bem montada e sempre a considerar, estando de parabéns todas as entidades envolvidas na Organização, salientando-se o Grupo Desportivo de Lousa.

 


A Partida é dada com um desvio mínimo da hora marcada, um pórtico insuflável dá magnitude à Partida e à Meta, os kms estão marcados, há abastecimento durante a prova, percurso bem marcado e sem trânsito, a classificação sai rápida e a entrega de prémios é feita com eficiência. Troféus para os primeiros de cada escalão. E para todos os participantes, ao chegarem à meta, uma merenda composta por um magnífico queijo, da Montiqueijo, que mantém o seu apoio à prova, uma garrafa de água, uma maçã e em substituição da t-shirt oferecida no ano passado, temos um belíssimo pão.

 


A prova é dura. Continua dura mas ela gosta. Asfalto e terra batida. Árvores e verde, muito verde. Sobre, sobe, sobre, sobe e como tudo o que sobe, também desce.

 


A passagem pela fábrica de queijos, patrocinadora da prova, o cheiro a ovelhas e outros misturados no ar, a vegetação e a terra molhada, levam-na patamares supremos de prazer enquanto corre. Abranda inevitavelmente nas subidas, tem de caminhar um bocado na estrada de terra que sobe até às eólicas, e no resto mantém o seu passo mais ou menos lento conforme o desnível mas sente-se sempre com força. Os últimos 2 quilómetros são sempre a descer e ela voou. Quando assim é, ela sente-se tão bem!

 


Muitos amigos reencontrados, e de cada Corrida faz uma festa. Apanha um companheiro na rampa de terra quando caminha, e caminha com ele. Terminada a subida, incentiva-o a recomeçar a correr e a partir daí seguem os dois juntos, fazendo a rapariga de guia turístico e adiantando o que lá vinha, visto que o atleta era a primeira vez que ali participava. Acabaram juntos e foi uma boa prova, para ambos, crê.

 


Por tudo isto, só pode esta rapariga sair de lá completamente satisfeita e a querer voltar sempre que possa.

 

Ana Pereira
http://mariasemfrionemcasa.blogspot.pt/


 

quarta-feira, 19 de setembro de 2018 – 19:29:21

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...