15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

No Lugar Dela, novo álbum de Duarte à venda hoje

 

 

“Não vamos enganar as pessoas e dizer que é um disco de fado só porque gravamos três fados. Não vai ser um disco de fados, embora seja um fadista a cantá-lo.” 

 José Mário Branco (julho 2019)


“No Lugar Dela” é um disco de combate. Um disco de combate à malícia dos dias. Conceptual e fundamentado num exercício empático.

O cantar e o contar do lugar de umas quantas mulheres. O olhar de um homem sobre esses lugares. Porque estar no lugar dela é estar no lugar do outro. Porque estar no lugar dela não é ser ela – o outro. Acreditando que por este movimento podemos ter dias mais leves. Assim como se o remédio dos nossos dias fosse a empatia. Assim como se fundamental fosse a empatia.

Com pré-produção de José Mário Branco. Com uma formação musical em trio de fado e quarteto de cordas clássico, tentamos pois, o lugar do outro, ou neste caso, de outras.

 

No Lugar Dela

Algemas (Álvaro Duarte Simões)

Epifania. O ponto de partida que foi a escuta quase obsessiva da mulher (Amália) que canta as Algemas e o Amor (esse nada que recompensa).

ReViraVolta (Duarte)
A mulher que canta os dias, não se deixando resignar a eles. A mulher que se resolve por ela e com ela mesma. Laivos de “saias” do Alto Alentejo.

Por Minha Culpa (Duarte)
A mulher violentada. A culpa que está na génese da sua condição.

Maria da Solidão (Duarte/Vitorino Salomé)
A mulher que se pensa no vivido. De onde veio e onde chegou. A tão marcante solidão do caminho.

Saudades Trazes Contigo (Duarte/Fado Mouraria)
Uma possível resposta ao “Saudades Trago Comigo”, tantas vezes cantado pelos homens.

Mais do Mesmo (Duarte/Fado Rosita)
A mulher que se inquieta face à espuma dos dias.

Sou Eu (Duarte)
Depressão e Ideação Suicida. Mecanismos de defesa e/ou adaptação.

Até Logo (Duarte/Sérgio Rodrigues)
Aquela mãe a quem morreu o filho ainda criança.

Leonor (Duarte)
A história de uma procura por Leonor de Almeida (1909-1983), misteriosa poetisa portuense.

Por Amor (Duarte/Fado Rosa)
A mulher casada que termina a relação com o amante.

Vou-me Embora, Vou Partir (Popular)
O ponto de chegada que é esperança de ser. Partir, ver e conhecer.

 

Dia 3 de Abril às 21h00 

Concerto online directamente do Fórum Municipal Romeu Correia
Auditório Fernando Lopes Graça

transmitido via streaming, através do canal de Youtube e do Facebook da Câmara Municipal de Almada.


Músicos:
Voz: Duarte
Guitarra Portuguesa: Pedro Amendoeira
Guitarra: João Filipe
Viola Baixo e Contrabaixo: Carlos Menezes
Violino: Vasken Fermanian
Violino: Liviu Scripcaru
Viola de Arco: Miguel de Vasconcelos
Violoncelo: Teresa Araújo
Percussões: Ruca Rebordão

Concerto Antena 1

 

 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 17 de maio de 2021 – 09:41:23

Pesquisar

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...