18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Aveiro 2024 – Capital Portuguesa da Cultura - Programação de Junho

 

MÚSICA

Inês Marques Lucas

 

Data: 6 de junho

Hora: 22h00

Local: Sala Estúdio, Teatro Aveirense

 

Inês Marques Lucas pode ser definida como esteta de canções em português com capacidade de criar clássicos instantâneos. A compositora editou o seu álbum de estreia, Horas Mortas, em 2023, tendo a música “Do Avesso” saltado para as rádios portuguesas, assim como “Não Restou Nada” e “Sofá”. As apresentações por todo o país têm demonstrado que Inês Marques Lucas é dos talentos mais seguros da atual música portuguesa.

 

Bilheteira: 5 euros

Classificação etária: M/ 6 anos

 

Ficha Artística:
Inês Marques Lucas

 

 

MÚSICA

João Martins Ensemble & Miguel Araújo

Campus Jazz

 

Data: 7 de junho

Hora: 21h30

Local: Universidade de Aveiro

 

Miguel Araújo junta-se ao músico e arranjador João Martins, num projeto que apresenta arranjos únicos e surpreendentes de canções compostas pelo cantautor. Neste concerto, Miguel Araújo deixa de lado a guitarra e a sua voz é acompanhada por uma formação pouco convencional que dá vida às novas versões criadas por João Martins. O ensemble, liderado pelo arranjador, é composto por vozes, madeiras, metais, cordas e uma secção rítmica constituída por piano, acordeão, vibrafone, contrabaixo e bateria. O projeto, que nasceu fruto do doutoramento de João Martins na Universidade de Aveiro, conta já com a edição de um álbum lançado em dezembro de 2023, gravado ao vivo na Escola de Artes e Ofícios de Ovar.

 

Este concerto é uma iniciativa do programa de comemorações dos 50 anos da Universidade de Aveiro e de Aveiro Capital Portuguesa da Cultura 2024.

 

Bilheteira: consultar programa próprio

 

Ficha Artística:
Miguel Araújo(voz), João Martins (arranjos e direção)
Organização: Universidade de Aveiro e Câmara Municipal de Aveiro

 

 

DANÇA

ATSUMORI
Catarina Miranda

 

Data: 8 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

ATSUMORI é uma peça de dança para um quinteto e um palco luminoso. Esta criação é intimamente inspirada na peça japonesa de teatro Noh de título homónimo, em que o fantasma de uma criança-guerreira, morta em combate, deambula pelo campo de batalha, na expectativa de se reconciliar e afirmar a sua nova condição: a de ser um espectro. Centrada na ideia do fantasmagórico e hipnagógico (estados de sonho), ATSUMORI parte da perceção de fantasma enquanto noção de espectro em repetição.

 

Bilheteira: 5 euros
Pack Atsumori + CNB: 10 euros

Classificação etária: M/ 6 anos

 

Ficha Artística:
Direção Artística, Coreografia, Figurinos: Catarina Miranda
Cocriação coreográfica & Interpretação: Cacá Otto Reuss, Joãozinho da Costa, Lewis Seivright, Maria Antunes, Melanie Ferreira
Desenho de Luz: Leticia Skrycky & Joana Mário
Composição Sonora: Lechuga Zafiro
Concepção, Cenográfica: Catarina Miranda, Joana Mário, João Brojo, Letícia Skrycky
Apoio à Pesquisa Dramatúrgica: Carlos Mesquita, Ece Canli, Fernando Oliveira, Jonathan Saldanha/ Produção Executiva: João Brojo
PARCEIROS Produção: Diagonal Animal /PT, Produção e Difusão: Materiais Diversos /PT, Coprodução: Centre Pompidou/ Spectacles Vivant (Paris/FR), Charleroi Danse - Centre Chorégraphique de Wallonie-Bruxelles (Bruxelas/BE), One Dance Week Festival (Plovdiv/ BG), Teatro Aveirense (Aveiro/PT), Teatro Municipal do Porto (Porto/ PT) e São Luiz Teatro Municipal (Lisboa/PT)
Apoio às Residências - AGORA (Montpellier/ FR), CRL - Central Elétrica (Porto/PT), Centre Chorégraphique National de Caen en Normandie (Caen/FR), Centro Cultural da Malaposta/Minutos Redondos/Câmara Municipal de Odivelas (Odivelas/PT), O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo/ PT), Teatro Viriato (Viseu/PT) e Teatro Municipal do Porto (Porto/ PT)
Apoio - Instituto Camões de Paris

 

 

CULTURA, HISTÓRIA, MEMÓRIA

Museum of Us

 

Data: 9 de junho

Hora: 18h30

Local: Atlas Aveiro - Biblioteca Municipal

 

Um repositório colaborativo de memória coletiva, que disponibiliza coleções virtuais, tornando-se um agregador de “objetos” que transmitem emoções, biografias, vínculos, narrativas e formas que espelham a dinâmica do território aveirense, num processo colaborativo com agentes anónimos da comunidade.

 

Bilheteira: Entrada livre

Ficha Artística:
Arquivo Municipal de Aveiro

 

 

MÚSICA

Aveiro_Síntese 2024

 

A bienal Aveiro _ Síntese apresenta uma edição com predominância de música acusmática, mas onde não faltam também propostas de música mista – com solistas, música de câmara e orquestral, uma ação cénica, uma instalação, uma caminhada aural e uma oficina para descobrir os mistérios da eletroacústica.

 

Bilheteira: 3 euros

Classificação etária: M/3 anos

 

Ficha Artística:
Alexandre Aguiar, João Casimiro Almeida, Rochus Aust, Rita Castro Blanco, Emídio Buchinho, Nádia Carvalho, Frederica Campos, Andrea Conangla, Henrique Costa, Tiago Cutileiro, Ricardo Guerreiro, Leonor Keil, Leigh Landy, Pedro Ribeiro, Ensemble DME, Orquestra das Beiras.
A bienal Aveiro_Síntese é um projeto da Arte no Tempo
Coprodução: Teatro Aveirense
Apoio: Teatro Aveirense/Câmara Municipal de Aveiro, Direção Geral das Artes. Em “Bustrofédon”: apoio programa Caixa Cultura.

 

 

Programa
Domingo, 9 de junho | 16h00
Sala Estúdio, Teatro Aveirense
cordas

Embora ambos envolvendo instrumentos de cordas, são bem distintos os projetos de criação que neste espaço se apresentam. Tiago Matias, músico aveirense, apresentará duas obras para teorba de compositores portugueses que encomendou no âmbito do seu mais recente registo discográfico: ‘Fantasia’. Hugo Vasco Reis apresenta-se na dupla qualidade de compositor e intérprete, partilhando música desenvolvida para o disco ‘Tateabilidade’, através do ato da experimentação, com guitarra portuguesa, objetos, eletrónica e o sentido do tato.



Domingo, 9 de Junho | 18h00
Sala Principal, Teatro Aveirense
Ensemble DME

Pela primeira vez no Teatro Aveirense, o Ensemble DME traz a Aveiro um programa variado de música mista com uma obra para violino e eletrónica de Rocío Cano Valiño (Buenos Aires, 1991) e quatro quintetos de Maurizio Azzan (Carmagnola, 1987), António Sousa Dias (Lisboa, 1959), Pascale Criton (Paris, 1954) e Jaime Reis (Coimbra, 1983), com que encerra a edição de 2024 da bienal Aveiro_Síntese.

 

Programa completo em: aveiro2024.pt

 

 

MÚSICA | COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS

Terra da Música - Passadiço Musical do País

 

Data: 10 de junho

Horário: 14h30 às 18h30

Local: Rossio

 

O Projeto Terra da Música - Passadiço Musical do País apresenta-nos o sangue novo de algumas das melhores recriações da música tradicional portuguesa. Estarão em palco músicos que têm em comum o olhar da contemporaneidade simultaneamente o profundo amor pelo legado dos seus antepassados. As regiões do Minho, Beira Interior, Madeira e Açores, Alentejo e Algarve estão representadas e todas aceitaram o repto de incluir no repertório um motivo musical original proposto por Aveiro 2024 - Capital Portuguesa da Cultura, que será um elo unificador

 

Bilheteira: Gratuito

Ficha Artística:
Curadoria: Pedro Jóia
Colaboração: Rota Clandestina

 

 

ARTE PÚBLICA | COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS

 

Escultura de Rui Chafes

 

Data: 10 de junho

Hora da inauguração: 16h30

Local: Praça General Humberto Delgado | Rotunda das Pontes

 

Em arte o que é importante não é apenas o que se vê, mas sim, também, o que não se vê, o que se pressente e se adivinha, as várias camadas que constituem o seu pensamento e a sua raiz. A maneira como uma obra de arte se apresenta ao Mundo é mais do que somente a sua forma: o visível e o invisível são a sua essência constituinte. O que não se vê é o que dá sentido à sua presença, está lá sem se mostrar (tal como um fruto que, quando chega às nossas mãos, traz em si o sol e as nuvens e a chuva que o criaram). As obras de arte não se deixam abarcar na sua totalidade, a sua dimensão secreta resiste ao espectador e ao próprio autor. Esta escultura é uma semente que vai nascer em Aveiro, pairando no espaço intermédio entre a água e o céu, entre o escuro e a luz, oferecendo-se ao nosso olhar e à nossa intuição. Como todos os nascimentos, trará incógnitas e perguntas ao Mundo: talvez a luz não esteja só em cima nem a escuridão só em baixo.
Rui Chafes

 

 

MÚSICA | COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS

Fado Camões, LINA_

 

Data: 10 de junho

Hora: 21h30

Local: Praça da República

 

A fadista LINA_ apresenta o seu novo trabalho, um disco dedicado à poesia de um dos mais notáveis poetas portugueses, Luís Vaz de Camões, adaptada ao fado tradicional. Um concerto de Aveiro 2024 para celebrar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades.

 

Bilheteira: Acesso livre
Classificação etária: M/6 anos

 

Ficha Artística:
Ianina Khmelik (piano e sintetizadores)
Pedro Viana (guitarra portuguesa)
Collective of Two (vídeo)
Tela Negra/Miguel Ramos (design de iluminação)
Marco Silva (som)

 

 

DANÇA

Se desta janela, debruçando-me
Paulo Brandão

 

Data: 13 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Espetáculo que parte de O Marinheiro, de Fernando Pessoa, um texto que é a representação de um teatro sem ação, cuja energia está toda concentrada no que é dito por três veladoras num quarto circular. Escrito em 1913, que sentido fará descolonizar hoje um texto tão estático? Será que Fernando Pessoa pensava na condição da mulher (portuguesa) ao escrevê-lo? Uma criação apresentada no dia em que se assinala o aniversário do autor.

 

Bilheteira: 7,5 euros
Pack Se desta janela, debruçando-me + Fado Alexandrino + Quis Saber quem Sou: 15 euros
Classificação etária: M/6 anos

 

Ficha Artística:
Criação e dispositivo cénico: Paulo Brandão
Texto: a partir de “O Marinheiro” de Fernando Pessoa
Interpretação: Carminda Soares, Maria R. Soares e Francisca Sarmento
Figurinos: Anja de Salles
Som: Francisco Rodrigues
Luz: Nilton Teixeira
Assistente de cenografia: Catarina Brandão
Maquilhagem: Jacqueline Caetano
Coprodução: Theatro Circo de Braga e Instável - Centro Coreográfico
Projeto financiado por República Portuguesa e Direção Geral das Artes

 

 

MULTIDISCIPLINAR

New Deal of Arts and Democracy*

 

Data: 14 a 16 de junho

Local: Teatro Aveirense e outros locais

 

O New Deal of Arts and Democracy é um ponto de encontro para a discussão sobre o papel das artes na construção de uma Europa livre, participativa e inclusiva, com artistas, criadores, pensadores e público num fecundo intercâmbio em torno das ideias fundadoras da nossa civilização. Com uma forte componente internacional, o evento abordará a consciência cultural dos europeus e o que significa pensar e agir politicamente nos dias de hoje, sublinhando o papel do setor cultural nestas dinâmicas.

 

Destaques

Concerto de Anthony Joseph

Data: 14 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Como músico, Anthony Joseph lançou oito álbuns aclamados pela crítica e, em 2020, recebeu o prémio da Paul Hamlyn Foundation Composers. Alia jazz, spoken word, calipso e várias outras geografias sonoras, que o têm afirmado como uma figura única no panorama atual. Uma faceta que anda a par da sua carreira literária, com cinco obras de poesia e três romances publicados, tendo ganho o prestigiado T.S. Eliot Prize for Poetry em 2022, entre outros prémios. Em todas as vertentes há uma forte consciência política e social, com tanto de assertivo como de emotivo, misturando as suas raízes caribenhas e a tradição lírica britânica. É membro da Royal Society of Literature e professor de escrita criativa no Kings College, em Londres. 

 

The World of Possibilities

De Haris Pašović

Data: 15 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Quanto é possível amar? Há limites para o amor?

Somos pessoas empáticas? A empatia é infinita?

O que fazer quando não se consegue evitar uma realidade desafiadora?

Quais são os limites da paciência?

A solidariedade faz algum sentido?

O que é a graça?

Estas questões fazem parte do mundo pessoal de cada um de nós. É o nosso pensamento mais íntimo, uma conversa que temos com nós próprios. “The World of Possibilities” é um espetáculo teatral sobre pessoas com deficiência, as suas famílias e os seus terapeutas. É o retrato da incrível capacidade de as pessoas amarem e fazerem sacrifícios. É também um mundo de muitos desafios e, por vezes, de resultados trágicos. Um mundo em que o sentido da vida se revela da forma mais forte possível.

“The World of Possibilities” segue um conjunto de personagens em circunstâncias extraordinárias, causadas por paralisia cerebral e autismo. As histórias que se desenrolam diante de nós são incríveis. Fazem-nos refletir sobre a vida a partir de um discurso novo, surpreendente e emocionante.

Um espetáculo admirável também no sentido teatral, tendo em conta a sua dramaturgia inovadora, o seu apelo visual e a sua impressionante banda sonora.

 

A Noite

De José Saramago pelo Grupo de Teatro de Jornalistas do Norte

Data: 16 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Um espetáculo em torno da peça “A Noite”, de José Saramago, por jornalistas profissionais. Tudo acontece na redação de um jornal, na madrugada do 25 de Abril, quando os jornalistas são confrontados com o rumor da revolução. Seria uma oportunidade de refletir — em carne e osso — sobre o futuro do jornalismo. Porém, surgiu um novo rumor: o de que o próprio jornalismo teria morrido. É a tentativa de confirmar (ou desmentir) esse rumor que as pessoas verão nesta Noite.

 

*para mais informações, consultar programa próprio

Ficha Artística:
Curadoria: Haris Pašović | Teatro Aveirense

 

 

CICLO DE CINEMA TEMÁTICO

O Ciclo de Cinema Temático é composto por quatro curtas-metragens: a uma encomenda de Aveiro 2024 juntam-se três curtas-metragens históricas escolhidas em função do tema ‘Cultura e Democracia’, numa parceria com a Cinemateca Portuguesa.

 

Data: 18 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

 

Experimenta Música

A. Costa Valente

 

ESTREIA

 

Num autocarro, um espaço público, encontram-se os que têm posses para estudar música, os que não têm nada e os que têm tudo, incluindo o poder, a arrogância e o hábito de banalizar a vida diferente e difícil dos outros.

 

Ficha Artística:
Realização: Costa Valente
Argumento: Danilo Nascimento, Helena Petipere
2024, Drama, Portugal, 15 min.
Produção e curadoria: Plano Obrigatório
Coprodução: Teatro Aveirense/ Câmara Municipal de Aveiro.

 

Ano 1º - 1º de Maio

Unidade de Produção Cinematográfica Nº 1

 

Um filme sobre a jornada do 1º de Maio de 1975, num Portugal novo e numa demonstração da organização da força popular e do MFA. A Unidade de Produção Cinematográfica Nº1 foi criada no interior do Instituto Português de Cinema, após o 25 de Abril, com vista à dinamização política tendo sido responsável por um conjunto de curtas-metragens de âmbito documental.

 

Ficha Artística:
Realização e produção: Unidade de Produção Cinematográfica Nº 1 1975
Documentário, Portugal, 10 min
Curadoria: Plano Obrigatório
Parceria: Cinemateca Portuguesa
Cópia digitalizada pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência. Medida integrada no programa Next Generation EU.

 

Cravos de Abril

Ricardo Costa

 

Um documentário de 1976 que relata o seu tempo, desde as guerras coloniais, a ditadura de Salazar e, finalmente, o 25 de Abril de 1974, com a sua adesão popular e momentos consequentes, como a prisão dos agentes da polícia política da PIDE, a libertação dos prisioneiros políticos do Forte de Caxias, a chegada de Mário Soares e Álvaro Cunhal do exílio e o primeiro 1º de Maio em Lisboa. As pinturas murais depois do 25 de Abril. O futuro em questão.

 

Ficha Artística:
Realização e produção: Ricardo Costa, 1976
Documentário, Portugal, 28 min
Curadoria: Plano Obrigatório
Parceria: Cinemateca Portuguesa
Cópia digitalizada pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência. Medida integrada no programa Next Generation EU.

 

 

Paredes Pintadas da Revolução Portuguesa

António Campos

 

No seguimento da Revolução de 25 de Abril de 1974, as paredes e muros da cidade de Lisboa tornaram-se um meio para celebrar e transmitir os ideais e palavras de ordem revolucionários. O texto do pintor António Domingues exalta esta obra iniciada pela Célula dos Artistas Plásticos do Partido Comunista Português.

 

Ficha Artística:
Realização e produção: António Campos – 9 minutos, 1976
Documentário, Portugal, 9 min
Curadoria: Plano Obrigatório
Parceria: Cinemateca Portuguesa. Cópia digitalizada pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência. Medida integrada no programa Next Generation EU.

 

 

Bilheteira: 4 euros [inclui 4 curtas-metragens]
Classificação etária: M/12 anos

 

 

INSTALAÇÃO

“…depois de pulsar mais uma vez com os sentidos todos a terra em redondo”

Paulo Mendes

 

Data: 20 de junho a 31 de julho

Hora da inauguração: 18h00

Local: Sala Estúdio, Teatro Aveirense

 

Portugal, século XX, década de 1940, a exploração mineira está em expansão na região Centro e Norte do país, com particular incidência no volfrâmio, um mineral que era utilizado para a produção de aço e outras ligas metálicas, essencial para a produção de armamento. Sustentado num regime ditatorial de partido único e numa Europa em ebulição, em plena Segunda Guerra Mundial, Salazar tenta através de malabarismos diplomáticos reforçar a neutralidade portuguesa no conflito, mas acaba por negociar a exploração e venda de volfrâmio, com os alemães e com os aliados.

 

Bilheteira: Gratuito
Classificação etária: M/6 anos

 

Ficha Artística:
Paulo Mendes

 

DANÇA

Shechter/ Wellenkamp/ Naharin

Companhia Nacional de Bailado

 

Data: 21 de junho

Hora: 21h30

Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Um espetáculo em que a Companhia Nacional de Bailado junta três nomes maiores da dança contemporânea: Hofesh Shechter, Vasco Wellenkamp e Ohad Naharin. Para este programa, a CNB convidou Vasco Wellenkamp, uma das maiores referências da dança contemporânea portuguesa, a criar uma nova coreografia para a companhia. A esta nova criação junta-se “Minus 16”, de Naharin, que volta a ser dançado pela CNB, e “Uprising”, de Shechter, que entra pela primeira vez para o repertório da Companhia.

 

Bilheteira: 7,5 euros
Pack CNB + Atsumori: 10 euros

Classificação etária: M/6 anos

 

Ficha Artística:
Upspring: Uprsising: Hofesh Shechter, coreografia e Música / Lee Curran, desenho de luz / Bailarinos da CNB, Interpretação

Minus 16: Ohad Naharin, coreografia e Figurinos / Bambi, desenho de luz / Erez Zohar, assistente do coreógrafo / Bailarinos e bailarinas da CNB, interpretação

 

 

MULTIDISCIPLINAR

48ª Feira do Livro de Aveiro*

 

Data: 21 de junho a 7 de julho
Local: Rossio

 

A 48ª edição da Feira do Livro de Aveiro regressa, em 2024, a um dos locais mais emblemáticos da cidade, o renovado espaço do Rossio. Com isto, procura reinventar-se, colocando especial atenção na sua programação, não descurando a oferta diversificada de livros. A Feira do Livro pretende ser um evento literário e cultural que estimule o debate na cidade e convoque os cidadãos a refletir sobre o mundo onde vivemos.

 

Bilheteira: Gratuito
Classificação etária: Público em geral

 

*consultar programa próprio

 

LITERATURA

Laboratório: a edição alternativa*

 

Data: 21 de junho a 7 de julho
Local: Rossio

 

Poucas pessoas sabem, mas Aveiro é o lar de alguns dos fanzines mais ativos do país. Esta publicação alternativa, geralmente de carácter amador e produzida de forma artesanal, foi vital para a divulgação de trabalho artístico e para a circulação de tendências socioculturais. Este “laboratório” pretende celebrar esse fenómeno cultural através de exposições, workshops, palestras e outras iniciativas.

 

Bilheteira: Gratuito
Classificação etária: Público em geral

 

*consultar programa próprio

 

MULTIDISCIPLINAR

Feira Nacional do Mirtilo – 16ª edição

 

Data: 28 a 30 de junho

Horário: 10h00 – 24h00
Local: Parque Urbano da Vila de Sever do Vouga

 

De 28 a 30 de junho de 2024 realiza-se em Sever do Vouga a 16ª edição da Feira Nacional do Mirtilo, o evento que celebra o rei dos antioxidantes e que atrai, de todo o país, milhares de visitantes. Este evento é, por si só, a afirmação da vitalidade de quem se dedica a esta cultura e da história recente de Sever do Vouga. Um certame de referência e tradição onde se pode encontrar mirtilo fresco local, uma excelente gastronomia, muita animação cultural e o calor humano único das pessoas desta região.

 

Bilheteira: Entrada Gratuita
Classificação etária: M/3 anos

 

Ficha Artística:
Organização: Câmara Municipal de Sever do Vouga

 

 

MÚSICA E PERFORMANCE

Zeca Afonso, Cantor e Poeta - Viagem Literária

 

Data: 29 de junho

Hora: 18h30
Local: Sala Principal, Teatro Aveirense

 

Uma homenagem a Zeca Afonso, por ocasião dos 50 anos da Revolução de Abril, destacando-o como cantor, compositor e poeta. Juntos, a Grande Coisa!, a Banda Amizade - Banda Sinfónica de Aveiro, Teatro Aveirense | Câmara Municipal de Aveiro, os intérpretes Rita Redshoes, Catarina Moura e Rui Oliveira e atores da Cooperativa Bonifrates evocam o legado de José Afonso. Este espetáculo é o culminar da Viagem Literária dedicada a José Afonso com início em Coimbra, às 12h30. Em Aveiro, a manifestação poética parte da Estação de Caminhos de Ferro, às 17h00.

 

Bilheteira: 7,5 euros
Classificação etária: M/6 anos

 

Ficha Artística:
Conceção e Produção: Grande Coisa!
Interpretação: Rita Redshoes, Catarina Moura, Rui Oliveira, Banda Amizade - Banda Sinfónica de Aveiro, Atores da Cooperativa Bonifrates
Maestro: Carlos Marques
Co-Produção: Banda Amizade - Banda Sinfónica de Aveiro, Tarrafo – Associação Cultural, Teatro Aveirense, Câmara Municipal de Aveiro
Apoios: Câmara Municipal de Coimbra
Parceria: Cooperativa Bonifrates

 

MÚSICA | PROGRAMA BREAKING WALLS

Cantar o Lar

 

ESTREIA

 

Data: 30 de junho

Hora: 15h00

Local: Centro de Congressos de Aveiro

 

Um projeto que leva a música e a cocriação a quatro lares da região, cruzando a lembrança individual e a cultura local com práticas de arte comunitária, no convívio de oficinas quinzenais. No ano em que Aveiro se torna Capital Portuguesa da Cultura, este projeto celebra e estende a memória coletiva do Concelho através dos seus cidadãos mais velhos, dando-lhes uma nova voz em concertos e instalações musicais em pontos significativos da cidade, a apreciar por todas as idades.

 

Bilheteira: Gratuito
Classificação etária: Público em geral

 

Ficha artística:
Curadoria: Martim Sousa Tavares, com Stephanie Rowcliffe
Direção Musical: Beatriz Mendes
Entidades parceiras: Centro Social Santa Joana Princesa / Centro Paroquial S. Bernardo / Florinhas do Vouga / Fundação Casa do Pessoal Segurança Social e Saúde do Distrito de Aveiro

 

EXPOSIÇÃO

Liberdade, Amor e Poesia

Fundação Cupertino de Miranda

 

Data: Até 23 de junho

Horário: Terça-feira a domingo: 10h00 – 12h30 / 13h30 – 18h00

Local: Museu da Cidade

 

É sob o mote de “Liberdade, Amor e Poesia” que a Fundação Cupertino de Miranda apresenta esta exposição inédita. Dos anos 30 do século XX até à atualidade, estão representados os nomes maiores do Surrealismo, em suporte de desenho, fotografia, escultura e pintura. São dezenas de obras de Fernando Lemos, Isabel Meyrelles, André Breton, Mário Cesariny e Cruzeiro Seixas que podem ser apreciadas neste espaço museológico de Aveiro.

 

Bilheteira: Gratuita

 

EXPOSIÇÃO

O Exercício da Liberdade: Obras da Coleção de Serralves

 

Data: Até 23 junho

Horário: Terça-feira a domingo: 10h00 – 12h30 / 13h30 – 18h00

Local: Museu de Aveiro / Santa Joana

 

No ano em que se comemora o 50º aniversário da revolução de 25 de abril de 1974, Aveiro 2024 apresenta uma exposição inédita em torno da liberdade enquanto força motriz da prática artística, reunindo obras da Coleção de Serralves e da Coleção do Município de Aveiro, com peças nas mais variadas práticas e disciplinas, incluindo pintura, escultura, vídeo e instalação, de artistas portugueses e internacionais, desde as vanguardas dos anos 1960 e 1970 até à atualidade.

 

Bilheteira: Gratuita

 

INSTALAÇÃO

Pousio
Bárbara Rosário e Pedro Rodrigues

 

Data: Até 23 de junho

Local: Ecomuseu Marinha da Troncalhada

 

Num Pousio frio, a Marinha descansa num sono tranquilo de quem sonha a Primavera, com vislumbres da azáfama e do esplendor do Estio ido. Uma instalação contemporânea baseada na recriação das alfaias salícolas através do olhar de dois jovens aveirenses desafiados a trabalhar as muitas vidas da Marinha da Troncalhada nas longas noites e curtos dias de Inverno. O Pouso e Repouso regenerador do Inverno, que anseia pacientemente o Verão.

 

Bilheteira: Gratuito

 

Ficha Artística:
Artistas: Bárbara Rosário e Pedro Rodrigues

 

EXPOSIÇÃO

O azulejo em Portugal: Futuro do Passado

 

Data: Até 22 de setembro
Local: Centro de Arte de Ovar

 

Data: Até 22 de setembro
Local: Galeria da Antiga Capitania do Porto de Aveiro 

 

Aveiro e Ovar são duas cidades com paisagens urbanas indelevelmente marcadas pelo Azulejo. Por isso mesmo, são duas cidades que olham atentamente para o futuro desta forma de expressão artística e onde faz todo o sentido mostrar uma exposição que olhe para o futuro a partir do passado e que contribua para que o azulejo aconteça. Uma exposição dispersa por núcleos que incluem os próprios espaços urbanos.

 

Bilheteira: Gratuito

 

Ficha Artística:
Câmara Municipal de Aveiro, Câmara Municipal de Ovar, Museu Nacional do Azulejo

 

Para mais informações, consulte: https://www.aveiro2024.pt/pt/

 

Periodicidade Diária

sexta-feira, 19 de julho de 2024 – 14:16:17

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...