16 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

O Balanço do estágio de Mohammed Qissi em Chaves

 

Realizou-se a 21 de Maio o “VI Estágio Samurai Inter-Estilos Cidade de Chaves”. Nesta edição o estágio foi dirigido por Mohamed Qissi, o actor que contracena em grandes filmes de artes marciais, nomeadamente com actores como Jean-Claude Van Damme. Este actor também é responsável por criar coreografias de cenas de luta para cinema e ensinar técnicas desta arte pelo mundo fora em eventos como este.

Este estagio teve inscrições limitadas, de forma a que se cumprissem todos os objectivos, que foram desde a formação ministrada por Mohammed Qissi, a sessão fotográfica e de autógrafos, permitindo a que cada participante pudesse levar para casa uma boa recordação do estágio com um custo acessível.

 

 

Vamos fazer o balanço deste evento com o Mestre Vitor Gomes, dirigente da  “Associação Portuguesa o Samurai”, entidade organizadora do estágio, assim como também ver o que Mohammed Qissi tem a dizer sobre este dia, assim como a sua opinião de Chaves, das suas gentes e levantar o véu de um possível novo projecto.

 

 

AMMA: Estes dias após o estágio, deu para fazer um balanço. O que tem a dizer sobre o evento? Como correu e o que o marcou mais?

Vitor Gomes: Antes de mais quero agradecer ao Pedro Mestre e à revista AMMA Magazine pela divulgação e publicidade, que fizeram deste evento. O balanço é positivo, pois o evento correu bem e principalmente Mohammed Qissi levou uma boa impressão de Portugal em particular da região do Alto Tâmega e Barroso. Acho que o que mais marcou quem participou neste evento, foram os ensinamentos que ele transmitiu , mas principalmente a sua simplicidade e poder estar com ele muito à vontade. É uma pessoa de fácil trato e bastante humilde, ou seja uma excelente pessoa.

 

AMMA: Como funcionou o processo de trazer a Chaves, Mohammed Qissi? O que tem para contar?

VG: Foram várias conversas com ele e com o irmão. Pensei inicialmente  trazer para um evento ele o seu irmão Abdelkrim Qissi assim como também o Jean-Claude Van Damme, mas sem apoios seria muito difícil. Então ficou combinado vir o Mohammed Qissi, numa primeira visita, e depois logo se veria se poderíamos realizar mais eventos com ele e com outras pessoas.

 

AMMA: Qual foi a reacção dele ao ser contactado por si, com o convite para dirigir este estágio de um dia?

VG: Ele aceitou de imediato. Referiu logo que seria uma honra muito grande poder vir a Portugal, pois nunca tinha cá estado antes e seria fantástico podermos conhecer-nos pessoalmente.

 

AMMA: O que o marcou mais nos ensinamentos de Mohammed Qissi e a forma como ele dirigiu o estágio?

VG: A forma simples de lidar com as pessoas e a sua boa disposição. Ser uma pessoa metódica e perfeccionista, mesmo se tratando só de um estágio básico para iniciantes, queria as técnicas bem executadas, mesmo pormenores de não passar uma determinada linha, não podiam falhar.

 

 

AMMA: Ele confidenciou-lhe alguma coisa que tenha apreciado mais na sua presença no Norte de Portugal durantes estes dias?

VG: Sim. Adorou o nosso país e disse que seria um bom sítio para viver ou passar férias e que gostava de vir filmar cá uma curta ou longa metragem, mas para isso teria que haver apoios, pois teria muitos custos.

 

AMMA: Este tipo de evento requer custos elevados e uma logística muito bem coordenada, assim como uma boa equipa a gerir tudo. Como funcionou em termos de apoios a esses custos, os apoios que teve em geral, assim como também funcionou a vossa organização logística para que nada falhasse?

VG: A nível de apoios, agradeço primeiramente  ao Hotel Rural Casas Novas, na pessoa do Sr. Fernando Moura, por todo o apoio que proporcionou para a realização deste evento;  À Junta de Freguesia de Santa Maria Maior na pessoa do presidente Hugo Silva, o qual nos forneceu  apoio logístico; à Presidente da “Associação Portuguesa O Samurai” Susana Fernandes, estamos muito gratos pelo excelente trabalho que tem feito e aos órgãos sociais, atletas e seus familiares; ao Alvaro Portugal, Presidente da Assembleia da APS, o qual ficou responsável pelo som do evento; ao Nuno Vilaranda pela elaboração dos certificados de participação; Ao Maurício Rodrigues, atleta responsável pelo transporte de vinda e regresso do actor até ao aeroporto; ao Fernado  Santos, tradutor do evento; ao Alexis Oliveira, responsável pelas gravações e ao Rui Vilaranda que também colaborou. À Cor&Contraste  pelas fotografias nas pessoas de Luis  Batista, o fotógrafo e à sua assistente  Cristina Carvalho. Tivemos também o apoio do Feel Burgers, onde Mohammed Qissi comeu a famosa Francesinha, obrigado Natalia Eira e Leonel Silva; ao  restaurante marisqueira O Príncipe onde Qissi se deliciou com o nosso marisco, obrigado Armindo Alves. Ao Mc  Donnalds de Chaves  pelas águas e pelos vales dos gelados; à  imobiliária Casa Feliz, que ajudou a pagar as despesas inerentes à deslocação do ator ao aeroporto, obrigado Ricardo Costa e claro revista AMMA Magazine pela divulgação e publicidade. Assinámos um contrato de apoio com o IPDJ do programa Reativar Desporto e a verba atribuída foi aplicada neste evento. Um muito obrigado  também aos funcionários que estiveram a trabalhar no Pavilhão. Creio que não me ter esquecido de ninguém. Em relação às  despesas totais do evento passam os 4 mil euros. O estágio inicialmente era para ter custos para os participantes, contudo a APS resolveu torna-lo de acesso gratuito e devolveu o dinheiro a quem já tinha pago a inscrição. Os únicos gastos que os participantes tiveram foi a aquisição das fotos (que foi diretamente com o fotógrafo) e nos restaurantes ao almoço e ao jantar não sendo de participação obrigatória, só participava quem queria. Assim tivemos um estágio deste nível sem custos para os participantes. Só lamentamos que o município de Chaves, não tenha ainda dado apoio financeiro este ano à associação e que neste evento até tenhamos que ter pago o pavilhão Municipal. Lamentamos também o facto de termos convidado  todo o executivo para estar presente no evento e ninguém ter comparecido. Mas a Associação Portuguesa o Samurai, existe para servir a população, como antigamente o Samurai servia o imperador. Assim nós estamos para cativar jovens e menos jovens para atividades desportivas e culturais, sem importar a religião, sexo, politica ou clube, pois é esse o nosso lema. Aguardamos que o Município ainda nos apoie este ano, pelo que fazemos e queremos fazer. Sei que não somos futebol para receber 500.000 €.

 

 

AMMA: Após o sucesso deste estágio, com uma presença internacional em Chaves, qual acha que deve ser o próximo passo? Já tem planos em mente para um próximo “Estágio Samurai Inter-Estilos Cidade de Chaves”?

VG: Possivelmente organizar, sim! Mas se não houver apoios, será noutra localidade. Mas Agora o foco é arranjar apoios para poder estar no Brasil em Novembro para receber um louvor na Assembleia Legislativa de São Paulo onde estarão presentes Mestres de todo Mundo, para um encontro Internacional e aí serem distinguidos pela sua dedicação nas Artes Marciais ao longo da sua vida.

 

AMMA: Vamos ver abaixo que Mohammed Qissi tem planos para realizar Portugal depois de ter vindo a este estágio em que o Mestre Vitor Gomes está envolvido. Como se vai materializar este projecto? Já tem algo que se possa saber sobre ele?

VG: Como já referi anteriormente, ele mostrou muito interesse em filmar em Portugale sugeriu  que ambos fizesse-mos castings para buscar jovens e menos jovens, interessados em entrar num filme. Mas para isso teria que haver muito apoio e para já só estão as ideias, falta trabalhar um pouco e depois planificar e esquematizar todo muito bem, para ver se realmente é possível realizar esse projeto.

Vamos agora ver o que Mohammed Qissi tem a dizer sobre a sua vinda a Chaves para dirigir este estágio, a mensagem que tem para todos e os seus planos do que pretende implementar Portugal.

 

 

AMMA: Qual é o seu balanço da estadia em Portugal e do estágio? Quais foram os momentos altos para si?

Mohammed Qissi: Eu tive uma estadia muito boa em Portugal sentindo-me muito feliz por isso. Tive momentos muito bons deste que o Maurício e a família me foram buscar ao aeroporto, eles são pessoas maravilhosas. Outro foi o maravilhoso Hotel onde o Mestre Vitor Gomes me alojou em que o seu dono Fernando foi fantástico assim como todos os seus funcionários. Tive uma maravilhosa vista sobre a Natureza. Este Hotel tem um misto de Moderno e Histórico. É mesmo um momento mágico.

 

AMMA: Durante o estágio os participantes corresponderam ao que esperava deles?

MQ: Sobre o estágio, estava  tudo muito bem organizado, e as pessoas respondiam com uma reação muito boa e muito profissional. Eles seguiam sempre as minhas indicações e eram muito bons. É que nas coreografia para cenas de luta eles memorizavam rapidamente, o que não é fácil e geralmente demora mais tempo a fazer. Até as crianças eram fantásticas.

 

 

AMMA: Qual a sua opinião sobre a técnica dos Mestres presentes no estágio, de forma particular o Mestre Vitor Gomes?

MQ: Os Mestres eram muito bons e tenho a dizer que Vitor Gomes surpreendeu-me. Ele tem uma técnica de muito alto nível. É uma técnica realmente muito boa a nível mundial, especialmente no Ju jitsu. Ele surpreendeu-me muito, é maravilhoso.

 

 

AMMA: Acerca da sua estadia em Portugal, o que mais o marcou? A gastronomia, a paisagem, as pessoas?… Tem espectativa de voltar a Portugal nem que seja para descansar e passear?

MQ: Para ser honesto, gostei de tudo, desde a gastronomia, a maravilhosa paisagem, a Natureza, especialmente no local onde fiquei, o Hotel perto de Chaves. A qualidade do ar era maravilhosa. Há muito tempo que não dormia tão bem por causa da qualidade do ar. Há muitas coisas que gostei e terei muito gosto em voltar.

 

AMMA: E voltar para novos estágios ou mesmo gravar um filme?

MQ: De certo que em Portugal têm também alguns jovens que podem ser Bruce Lee’s ou Van Damme’s, então eu e o Mestre Vitor Gomes vamos proporcionar um bom casting para ter a certeza que encontrámos a futura super-estrela para fazer filmes maravilhosos para mostrar os belos locais de Portugal para atrair o máximo de turistas. Também partilho da ideia “Sim aos desportos e não às drogas”. Por isso agradeço a todos os Mestres que ajudam os jovens para sair das ruas, das drogas e das coisas más. O desporto ajuda a ter uma vida saudável e ter melhores resultados nas escolas. Então o filme que eu quero fazer com Vitor Gomes é para deixar estas mensagens: respeito aos pais, mostrar os locais para atrair mais turismo, ajudar os jovens a sair das drogas e motivá-los a fazer as coisas certas. Isso será mostrado ao longo do filme motivando os jovens a sair das ruas e enveredar pela área dos desportos. As artes marciais são um bom meio para estar fora das drogas.

 

Aqui tivemos o testemunho de um estágio promovido por uma associação de artes marciais nacional que conseguiu trazer a Portugal um grande nome do cinema especialista em cenas de luta para cinema em que não só gostou da gastronomia da zona, gostou da hospitalidade do povo de Chaves, o local onde ficou e tudo decorreu. A qualidade natural que a zona tem e pretende voltar não só para relaxar como também para encontrar talentos escondidos afim de poder fazer produções de cinema voltadas para artes marciais com a componente educativa.

 

Texto: Pedro MF Mestre

Fotos: Luís Batista | Cor&Contraste

 

Periodicidade Diária

sábado, 13 de agosto de 2022 – 03:44:45

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...