16 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

“A Zebra de Bolinhas” Livro inclusivo para crianças e não só

“A Zebra de Bolinhas” é um livro para crianças com a história centrada em aventuras de uma zebrinha, a Bella, que nasceu com bolinhas em vez de riscas. Estando triste por ser diferente das restantes zebras conhece uma galinha também diferente das outras através da qual faz mais amigos num grupo onde a diferença predomina. Em várias aventuras encontram outros animais que sofrem de rejeição por terem diferenças em relação aos seus pares e através deste grupo conseguem ser ajudados a superar da melhor forma a sua situação.

 

Aqui a parte pedagógica que impera é a aceitação da diferença uns dos outros, ser inclusivo.

 

A criatividade vai para além do habitual, em que numa história infantil se insere a tecnologia dos nossos dias introduzida às crianças com termos tais como: redes sociais, influencers, selfies, ou seja o mundo digital actual.

 

As suas autoras: Ana Paula Catarino e Helena Perim têm São Paulo em comum. Ana Paula como empresária em criatividade e cinema e Helena na comunicação visual como TV e outros meios.

 

Portuguesa de origem, Ana Paula estudou cinema na New School University de NY e tem mais de 25 anos de experiência na área, com presença em projectos internacionais com nomes e parceiros globais assim como Google, Netflix Cartoon Network, Youtube, Globo News entre outros. Um dos seus grandes sucessos é “Animals” em 2017 com estreia em Annecy e contou com dezenas de prémios. Em 2020 Ana Paula troca São Paulo por Lisboa, continuando a sua carreira na indústria de cinema e criatividade.

 

A Helena Perim, também é especialista em Comunicação Visual, Propaganda e Marketing. Em São Paulo também esteve ligada a projectos como Editora de Arte na TV Cultura e vários programas infantis obtendo variados prémios. Ainda trabalhou em Itália em projectos ligados à televisão e produção de conteúdos. De regresso ao Brasil tem lança-se na edição de vários livros e teve envolvida em revistas temáticas. Quando se dedicou mais à arte da escrita decide desenvolver projectos de guiões de TV e publicidade, assim como projectos ligados a séries de animação infantil, comédias, dramas live action e reality shows para canais televisivos.

 

Este livro conta com a ilustração de Margarida Madeira e a Editora é a “Cordel  d’ Prata”.

 

O lançamento da obra foi oficialmente a 28 de Maio em Lisboa e neste momento já é um grande sucesso.

 

AMMA: Qual o segredo para escrever um livro por duas pessoas? Qual foi o papel específico de cada uma das autoras mesmo à distância?

 

Ana Paula Catarino: A ideia de uma zebra com bolinhas já existia. Durante o confinamento obrigatório, vi no facebook o anuncio para um concurso literário e por impulso enviei-lhes a sinopse, sem imaginar que seria selecionado. Eu e a Helena temos uma amizade e parceria de trabalho de mais de 10 anos, então uma vez que nos aprovaram foi bem fácil conduzir o processo mesmo a distância. A Helena é uma experiente escritora cheia de ideias, plots, nomes de personagens, então a minha parte foi enquadrar a história no contexto de Portugal, porque a mensagem é universal.

 

Helena Perim: Eu já sou escritora no Brasil e já publiquei dois livros em parceria com outra autora. Não foi difícil porque já tinha essa experiência e gosto muito de compartilhar ideias. Eu criei os personagens e o conceito das histórias e juntas desenvolvemos os capítulos, principalmente porque o meu português é do Brasil e muitas palavras e frases tiveram que ser alteradas para não perder o sentido. Nesse ponto foi muito bom ter a Ana Paula como parceira nesse projeto. E além disso, foi a Ana quem contatou a editora e selecionou algumas ilustradoras para o livro e juntas escolhemos a Margarida.

 

AMMA: Esta ideia inovadora de ter um livro para crianças, com o propósito dos valores da inclusão de pessoas com diferenças e falando uma linguagem de jovens e adultos centrada na tecnologia, como foi o juntar tudo isto para ter este resultado final?

 

APC / HP: Hoje em dia as crianças acedem à tecnologia antes mesmo de aprender a ler e escrever, por isso achamos que elas não teriam problema em assimilar a tecnologia na história. A nossa preocupação foi não dar a tecnologia uma importância forte na história, somente no início do livro. O nosso objetivo era passar para elas os valores de igualdade, solidariedade, auto estima e principalmente amor e acolhimento.

Apesar da faixa etária do livro ser mais para o pré escolar, acho que conseguimos atingir uma faixa de idade maior também e estamos muito felizes com esse resultado.

É um tema muito importante nos dias de hoje que deve ser abordado de uma maneira atrativa, leve mas com responsabilidade.

 

AMMA: Ao escrever para crianças tem que se ter em conta o que cada faixa etária vai assimilar do conto. Vocês neste livro contornam um pouco isso conseguindo torna-lo transversal a algumas idades diferentes. Quando iniciaram o projeto qual eram os vossos destinatários em concreto?

 

APC / HP: Com certeza pensamos na faixa etária pré-escolar que vai até 5 anos, mas depois que o livro ficou pronto vimos que mesmo com um visual bem infantil ele atraiu uma faixa maior de crianças entre 4 e 9 anos. Foi uma ótima surpresa para nós.

 

AMMA: Tendo em conta que escreveram esta obra à distância uma da outra, como se reuniam para discutir o progresso do vosso trabalho? Foi desafiante?

 

APC: Foi um processo bem fluido, via zoom, watsapp, email.

HP: Com a tecnologia! Graças a ela que a Bella fica famosa e graças a ela que conseguimos tornar esse projeto realidade.

Na verdade eu já tinha essa história na cabeça há algum tempo. Ana Paula era apaixonada pela ideia e sempre nos cobrávamos por não colocar a história no papel. Ela ainda morava aqui no Brasil. Bastou ela ir para Portugal e eu tive um folga nos trabalhos e sentei para escrever. E assim desenvolvemos tudo, via e-mails, whatsapp e chamadas de vídeo.

 

AMMA: Como é a cumplicidade entre escritoras e a ilustradora? Como comunicam ambas as artes entre si?

 

APC: A editora tinha um ilustrador em mente, e não costumam abdicar de decidir o caminho visual da obra. Mas eu acho que em conteúdo infantil, a parte visual é quase tão importante quanto o texto, e é imprescindível que eles se complementem. Eu estava em outro projeto com a Margarida, que é uma animadora e ilustradora com trabalhos bem conseguidos. Ela achou o projeto tão fixe, que se sentiu inspirada a criar os personagens. E de novo, alinhamos os nossos caminhos com a Helena via zoom.

 

HP: É muito bacana porque cada uma tinha na cabeça uma ideia visual. O mais bacana quando a gente lê um livro é deixar a imaginação fluir e ir criando as cenas e os personagens como imaginamos.

Foi divertido ver o resultado final que a Margarida propôs como ilustradora. Eu sempre imaginei esses personagens tridimensionais e quando vi os desenhos dela me assustei, mas ao mesmo tempo amei. Fizemos poucas mudanças no que ela propôs.

Ana Paula já conhecia melhor o trabalho dela e combinava bem com o que ela imaginava. Eu não. Mas adorei o resultado.

 

AMMA: Com tanta tecnologia presente no livro, preveem fazer alguma edição voltada para os canais digitais?

 

APC: A TVE de Espanha selecionou a Zebra De Bolinhas entre 200 projetos, e agora estamos a planear a adaptação para uma série de banda desenhada. A partir daí, podemos pensar em diversos desdobramentos, desde que eles complementem a obra e fortaleçam os conceitos e valores que nos inspiraram.

HP: Temos vários planos para a nossa Zebrinha e estamos fazendo parcerias bem interessantes para tirar esses personagens do papel e poder vê-los nas telas.

 

AMMA: Que mais iniciativas de divulgação, actividades e presença com os leitores têm previstas para os próximos tempos?

 

APC: O livro vai estar na Feira do Livro de Lisboa, e pode ser adquirido online na FNAC, Bertrand, Cordel de Prata online e Wook. Na volta as aulas planeamos visitas a algumas escolas, e em 2023 é possível que se inicie a produção da série.

HP: Quem cuida de tudo em Portugal é a Ana Paula. Eu estou em contato com editores brasileiros para lançar o livro aqui. Em Portugal o livro é vendido somente online mas espero que logo logo ele ganhe as vitrines das livrarias aqui no Brasil.

 

AMMA: Como está a correr a venda do livro tanto em Portugal como no Brasil?

 

APC / HP: Está indo muito bem mesmo sendo vendido somente pelo site da editora, da Fnac e da Bertrand. Estamos felizes de ver que as crianças que leram gostaram tanto que levaram para suas escolas e algumas bibliotecas pediram exemplares. Educar divertindo é o caminho ideal.

 

AMMA: Que mensagem querem deixar aos mais pequenotes que ouvem a vossa história e aos mais crescidos que a leem?

 

APC / HP:Queremos que as crianças não sejam influenciadas por preconceitos ou pensamentos que não cabem mais nos dias de hoje. Precisamos mostrar a elas que cada um de nós tem um pontinho que nos faz diferente, e isso é ótimo. Mas ser diferente não quer dizer ser melhor ou pior. O mundo é habitado por várias espécies e todas precisam conviver em paz. A autoestima é a porta para o amor, que nos ensina a compaixão, que nos leva a tão sonhada felicidade.

As autoras:

Ana Paula Catarino

Helena Perim 

 

Texto: Pedro MF Mestre

Fotos e ilustração: cedido pelas autoras

 

Periodicidade Diária

sábado, 13 de agosto de 2022 – 03:23:03

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...